Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Basta, povo corrupto! - Theófilo Silva

Enviado por Theófilo Silva
basta--povo-corrupto----theofilo-silva

     Toda vez que a mediocridade, a mentira, a empulhação, a safadeza e os conchavos recrudescem numa sociedade já caracterizada como corrupta, como é a nossa, e nos sufoca, como está acontecendo agora, levando as pessoas de bem ao mais completo desânimo, procuramos consolo em algum lugar. O meu refúgio é Hamlet. Na verdade, Shakespeare! Mais embaixo, eu digo como ele me socorre. Porque ainda sou um iludido, daqueles que acreditam tolamente que o Brasil tem jeito. De repente, as ações inesperadas vindas da sociedade, como as recentes manifestações – pacíficas e legítimas, não vandalismo fascista – me deram alguma esperança de mudança, pois eu achava  que o país ia avançar alguns metros. Foi quando ficou claro que tudo não passa de uma fraude, que o brasileiro é desonesto, e que as coisas vão permanecer como antes.

     Vejam bem, o Supremo Tribunal Federal acabou de condenar a, quatro anos e oito, meses de prisão, um corrupto – dono de uma ficha criminal quilométrica – governador, senador por Rondônia, Ivo Cassol, no entanto esse salafrário não perderá o mandato, continuará como senador atrás das grades. É ou não é assustador? O Supremo Tribunal Federal entende que mesmo condenado definitivamente e preso, ele pode exercer o mandato. E com o voto daquele novo e festejado ministro Roberto “ponto fora da curva” Barroso, que chegou ao STF como um Deus ungido. A única coisa boa nessa palhaçada é que agora teremos senadores e deputados presidiários, legislando dentro do presídio. Uma inovação brasileira. O que não dirá o resto do mundo: as evoluídas nações do Zimbábue, Botswana, Indonésia...

     Continuando o círculo de horrores, do outro lado, na sociedade civil, nulidades estão se transformando em celebridades. Todo e qualquer analfabeto que diga algo ou poste qualquer protesto nas redes sociais é catapultado à categoria de jornalista combatente, gênio, revolucionário etc. Tudo por causa do medo da imprensa escrita com as novas mídias que estão atropelando-a. A tal Mídia Ninja é uma seita de fanáticos cujo objetivo é a anarquia e o tumulto.

     Nas ruas, grupos de vândalos organizados estão agindo de forma semelhante aos que proliferavam na Alemanha pós Primeira Guerra Mundial, quando o país foi tomado por falanges, milícias de jovens desordeiros armados, prontos a atacar qualquer coisa que se movia, cujo único lema era a violência pura e simples. A diferença, para os grupos daquela época e os de agora, é que estes dizem que estão lutando em nome da democracia, da defesa de seus direitos, usurpados pelo estado. Mentira. Sabemos como esse comportamento acabou na Alemanha: no nazismo, gerando o regime mais brutal da história da humanidade.

     Para esses anarquistas e desordeiros, claramente financiados por políticos corruptos, temos um governo despreparado. Mas isso não é justo. É bom dizer que temos uma sociedade despreparada, uma imprensa despreparada, um povo preguiçoso que espera tudo do governo. Continuamos sendo um povo que não limpa nem a frente nem o quintal de sua casa, esperando o estado o faça. Se o estado não está conseguindo limpar a frente da minha casa, então por que eu mesmo não o faço? Como fazem os americanos e canadenses!?

     Mais do que em qualquer época, no Brasil de hoje, quase tudo é resolvido na base do conchavo, da troca de favores, de benesses e cargos. Num conluio imoral entre o poder judiciário e a classe política. Condenações são trocadas por nomeações nos tribunais, de parentes e dos próprios juízes. O sujeito é escalado para ser juiz e atuar no caso que interesse aos legisladores e aos governos. Isso está ficando límpido e claro nos últimos tempos. Sempre foi, mas agora a coisa está descarada. Estamos vivendo um dos momentos mais vergonhosos da história do Brasil. E essa safadeza está gerando e dando incentivo para que os fascistas – os manifestantes verdadeiros não entram nisso – ocupem as ruas e se comportem como os bandidos de toga e os homens públicos venais que arrombam e destroem o estado por meios do roubo silencioso e sem violência.

     Quando vejo esses representantes do estado de terno Armani, sorridentes e de voz empolada, cobertos de falsa respeitabilidade, com discursos amparados no Direito, lembro-me de Hamlet referindo-se ao corrupto rei Claúdio, da Dinamarca: “Porque é possível sorrir, sorrir e ser canalha!”

     É isso!

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •    Colbert foi ministro de Estado e da economia do rei Luiz XIV. Mazarino era cardeal e estadista italiano que serviu como primeiro ministro na França. Notável coleccionador de arte e jóias, particularmente diamantes, deixou por herança os "diamantes Mazarino" para...   (continua)


  •    Impunidade. Esse é um dos maiores traços de união entre o Brasil de ontem e o Brasil de hoje. Em 1549, o velho Tomé de Souza, ao instalar o governo geral, deu forte demonstração de sua autoridade.   (continua)


  •     Bruno Lima Rocha via blog do Noblat
       O noticiário brasileiro é uma aula de economia política. Se analisarmos o modus operandi dos líderes de oligopólios (como telecomunicações, construção civil, serviços públicos terceirizados, dentre outros), veremos conceitos...   (continua)


  •       “O poder político é um jogo social. Neste jogo, nunca é demais repetir, não se julgam os atos pelas intenções mas pelos efeitos. Você deve aprender a julgar todas as coisas pelo preço que terá que pagar por elas. Use este critério para tudo, inclusive para saber se deve colaborar com outras pessoas ou correr em seu auxílio. Afinal, a vida é curta, as oportunidades são poucas, e sua energia tem limite. Neste sentido, o tempo é tão importante quanto qualquer outro fator. Não desperdice tempo valioso ou paz de espírito..."   (continua)


  •    Excelente fala do Mia Couto. "A guerra fria esfriou, mas o maniqueísmo que a sustentava não acabou, inventando rapidamente outras geografias do medo à oriente e ocidente. E porque se trata de entidades demoníacas, não basta mais intervenções com a moral de uma nação. Precisamos de intervenção com legitimidade divina...   (continua)


  •    Como os “donos do poder” procedem a manipulação e o controle da opinião pública? A chamada Psicologia Política sabe bem sobre estas estratégias muito utilizadas atualmente. Algumas publicações atribuem este texto a Chomsky. Um tema polêmico. Estejamos atentos! Aqui vai um resumo:   (continua)


  •  'Esta eleição tem sido dominada por medo e raiva', diz o psicólogo Gilberto Godoy, presidente da comissão de ética do Conselho Regional de Psicologia do DF; leia entrevista completa no link abaixo. Faltando poucos dias para o segundo turno das eleições de 2018, sentimentos negativos se acumulam na vida dos eleitores – qualquer que seja a posição ideológica. A pesquisa Datafolha do último dia 2 de outubro confirmou, em números, a impressão gerada pelas redes sociais, pelas conversas de bar e até pelos já temidos "grupos da família".   (continua)
    Link do G1:
    https://g1.globo.com/df/distrito-federal/noticia/2018/10/14/eleicao-tem-sido-dominada-por-medo-e-raiva-diz-psicologo-leia-entrevista.ghtml


  • "Ainda que tenhamos aprendido com Maquiavel a ver a política como ela é, não podemos não nos indignar."
       Em 1992, quando George Bush, considerado imbatível pelo sucesso na política externa, foi derrotado por Bill Clinton, que teria se mostrado mais apto a gerir uma economia estagnada, James Carville, assessor-chefe de marketing do democrata, sentenciou: “É a economia, estúpido!” A partir daí...   (continua)


Copyright 2011-2019
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília