Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Sabedoria do Papa adaptada para behavioristas - JC Todorov

Enviado por Gilberto Godoy
sabedoria-do-papa-adaptada-para-behavioristas---jc-todorov

     Na mensagem de natal dirigida a cardeais e bispos o Papa surpreendeu e fez críticas sem precedentes ao comportamento dos membros da Cúria. Inspirados pela crítica do Papa Francisco à Cúria Romana, aqui vão conselhos dirigidos apenas aos behavioristas amigos da internet (para não dizerem que me meti a Papa do behaviorismo):

1 – A sensação de imortalidade, imunidade ou de ser indispensável costuma acompanhar o sucesso profissional do analista do comportamento, mas é bom lembrar que o resto da Psicologia não pensa assim. O cemitério dos psicólogos está cheio de “ex-ímortais”, “ex-imunes” e de “ex-indispensáveis”.

2 – Cuidado com a excessiva diligência. Pare para pensar antes de seguir regras. Como disse o Papa, “negligenciar o descanso necessário leva ao estresse e à agitação” e isso vale também para os behavioristas.

3 – Cuidado com o endurecimento mental. Isso é combatido acompanhando de vez em quando o que o resto do mundo está fazendo.

4 – Não abuse do planejamento excessivo e da análise funcional. Imaginação e improvisação são as mães da inovação.

5 – A má coordenação mata o futuro. Behaviorismo e análise do comportamento são obras coletivas. Como disse o Papa, o individualismo faz a orquestra produzir ruído, não música. Se cada um começar a dar nomes novos aos velhos bois a vaca vai para o brejo.

6 – O Alzheimer acadêmico torna o behaviorista uma pessoa totalmente dependente de seus pontos de vista, muitas vezes imaginários.

7 – A glória pessoal e a rivalidade são doenças irmãs, e seus sintomas são a ênfase absoluta em publicar e ser citado.

8 – Cuidado com a hipocrisia existencial, a doença dos que se dedicam burocraticamente à crítica da teoria e perdem contato com o comportamento das pessoas vivendo em sociedade. Alguns se dedicam a vida dupla, definindo conceitos de uma forma e usando-os na prática de outra.

9 – Fujam de conversas e fofocas, as quais semeiam discórdia e maledicência.

10 – Badalar o chefe é bom para carreira na política. Não deveria funcionar na ciência e na profissão (mas nunca se sabe...).

11 – Quando todo mundo pensa em si mesmo a procissão não anda. Lembrem-se que o santo é de barro e muitos são necessários para carregar o andor.

12 – Behavioristas são arrogantes por natureza, mas não custa fazer um esforço e sorrir para os clientes.

13 – Os que gostam do trabalho cobram preços razoáveis e não escorcham a clientela. Já os que sentem “um vazio existencial em seu coração” afogam as mágoas com preços inacessíveis.

14 – Evitem os círculos fechados. Esses grupos tendem a se tornar muito fortes e a gerar dissidências que se apresentam depois como uma nova ciência (se disserem que eu estava pensando no Steve Hayes vou dizer que é mentira).

15 – Cuidado com o exibicionismo do poder. Segundo o Papa, é a doença que transforma seu serviço em poder, e seu poder em mercadoria para ganhar mais dinheiro ou ainda mais poder.
 

     Fonte: Blog do JC Todorov - http://jctodorov.blogspot.com.br

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •    Construímos o que chamamos de autoconceito baseados em uma aprendizagem social-familiar nem sempre muito "conscientes" e, geralmente, recheada de controle avesivo. A autopercepção negativa não é fácil ser mudada mas é preciso se comportar na direção de ampliar nosso conhecimento de nós mesmos e do mundo. Autoconhecimento é a chave da muitas portas, entre elas a da autonomia e da 'liberdade'.   (continua)


  •    Os terapeutas comportamentais geralmente consideram que a grande maioria dos comportamentos infantis é controlada pelas contingências ambientais familiares. Nessa medida, ao tentarem auxiliar uma criança emocionalmente desajustada, tais profissionais buscam a alteração dessas contingências, atuando sobre a família. A proposta do...   (continua)


  •    O texto pretende alcançar dois objetivos principais, a saber: 1) esclarecer o significado de algumas intervenções comportamentais, abrangidas pelo modelo triádico no qual há no mínimo três pessoas envolvidas no trabalho terapêutico de uma criança (psicólogo, mediador e alvo); 2) mostrar como a maior compreensão da Terapia Comportamental familiar levou a ampliação do modelo de modo a incluir uma diversidade intervenções.   (continua)


  •    A Clínica Brasília de Psicologia tem compromisso com a saúde integral do indivíduo e o desenvolvimento de uma sociedade mais justa. Realizamos atendimentos psicológicos individuais, atendimentos em domicílio, terapia de casal, cursos diversos na área de psicologia e cultura, avaliação neuropsicológica, assessoria em psicologia, supervisão clínica, encontros científicos e mais. Conheça nossos serviços e nossa política de qualidade:  www.cbrasilia.com.br


  •    Nas vésperas do Natal de 1986 eu era Vice-Reitor da Universidade de Brasília. Estando o Reitor Cristovam Buarque de férias, estava eu no exercício da Reitoria quando minha colega e ex-aluna Deisy das Graças de Souza me trouxe uma cópia de um artigo (Glenn, 1986) que acabara de ser publicado. Era o Metacontingencies in Walden Two da Sigrid Glenn. Estávamos em plena Constituinte, a Constituição que seria aprovada em 1988 estava sendo elaborada.   (continua)


  •    Uma entrevista não-publicada concedida por B. F. Skinner a Emilio Ribes-Iñesta em 25 de janeiro de 1990 com B. F. Skinner. Tradução: Emilio Ribes-Iñesta. 1) Por que você escolheu o modelo reflexo – radicalmente modificado – para formular a taxonomia e a metodologia fundamentais para o desenvolvimento de uma teoria sobre o comportamento?  Skinner: Eu fiquei interessado em reflexos após...    (continua)


  •    Não é incomum que eu ouça de amigos e colegas reclamando de falta de tempo, ou sobre como eles gostariam de ter tempo para fazer outra coisa. Eu passei por uma situação similar a essa a alguns anos atrás quando estava me formando. Os meus professores passavam listas e mais listas bibliográficas, e em maioria eram sobre tópicos que não me interessavam.   (continua)


  •    Esta é uma lista de 50 documentários e vídeos de Psicologia, online e gratuitos disponíveis na internet, com um pequeno resumo de cada um deles. São documentários que tratam temas importantes da psicologia com alguns dos principais autores e teorias. Vale a pena conferir.   (continua)


Copyright 2011-2019
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília