Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

A importância do acaso - Affonso Romano Sant'anna

Enviado por Gilberto Godoy
a-importancia-do-acaso---affonso-romano-sant-anna

     Dorival Caymmi é que cantava: "Mas como o acaso é importante, querida, de nossas vidas a vida fez um brinquedo também"... Esses versos vieram-me à cabeça, por acaso, porque estava lendo um livro que comprei, não por acaso. É que o autor falava de uma série de descobertas feitas na ciência, muitas por acaso. Mas fica claro que só puderam se transformar em descobertas científicas porque o acaso estava sendo observado por pessoas que têm pelo acaso um respeito nada ocasional.

     Aquela maçã que, dizem, caiu na cabeça do Newton por acaso, fazendo com que ele deduzisse coisas sobre a lei da gravidade, pode ter caído por acaso, concordo, mas não foi por acaso que ele tirou disso grandes ilações. Não é de hoje que maçãs e até gigantescas jacas desabam sobre cabeças e nem por isso a ciência progride. Igualmente aquela estória de Arquimedes mergulhado na banheira e, de repente, descobrindo, por acaso, que o fato de seu corpo boiar explicava muita coisa que interessa à ciência dos fluidos, da navegação e da irrigação. Só as pessoas atentas podem perceber o acaso.

     Só as pessoas que procuram o sentido das. Coisas podem converter o acaso em informação. Leio que dois rádioastrônomos, Wilson e Penzias, em Nova Jersey, estavam tentando usar uma antena poderosa quando, estranhamente, começaram a perceber que havia um ruído, um zumbido inexplicável zanzando por ali.Pensaram que era alguma sujeira no material ou má conexão de tomadas. Não era. Estavam, por acaso, ouvindo sons que ajudavam a medir o limite do universo. E nem sabiam que era isso que estavam ouvindo. Só se deram conta da importância da descoberta involuntária que fizeram quando conversaram com outros cientistas e acabaram vendo a repercussão disso no New York Times. Resultado: ganharam o Nobel de Física de 1978.

     Não é por acaso que cientistas e artistas se interessam tanto pelo acaso.É que não basta ficar ali, racional e objetivamente, querendo tirar leite da pedra e minhoca do asfalto. Agente tem que deixar a atenção repousar, ficar provisoriamente irresponsável. Deixar o acaso trabalhar. O radar está ligado e, de repente, pimba! Oba! Eureka! Surge á solução de um problema, de um poema, de uma obra. É o famoso estalo, insight ou epifania que, dizem, ocorreu com o lendário Padre Vieira. Acho que os pescadores entendem bem do que estou falando. Eles não sabem muito bem o que está ocorrendo sob as águas, mas jogam o anzol com a isca e ficam ali distraídos, quer dizer, numa atenta distração.

     Aliás, também Clarice Lispector, por acaso me lembro, usou essa metáfora do pescador para falar do processo criativo. Agente tem que fingir que está "distraído". Distraído, mas, como diz uma amiga, "com a atenção de bode na canoa". Temos que ter certa reverência pelo acaso. Até no amor. Agente topa, por acaso, com as pessoas mais diversas nas esquinas, coquetéis, festas,blogs,internet e de repente uma capta nossa atenção, nos' fisga, nos arrebata. Por acaso? Tem gente que por urgente acaso acredita no horóscopo, cartomante, etc. É que as pessoas procuram essas assessorias quando estão ao léu da sorte, mais fragilizadas. E quando se está mais fragilizado, o acaso e a possibilidade viram certeza.

     Mas aí já é um perigo, porque sair procurando sinais reveladores em tudo o que se vê pode confundir a recepção da mensagem por vir. O bom é encontrar fora aquilo que se procura dentro da gente. Ou, como diziam nossos pais: quem procura, acha. Às vezes, claro.

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •      "Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final. Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver. Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.   (continua)
      * Veja sobre Psicólogo Brasília na Clínica Brasília de Psicologia ou AQUI.


  •      Um grupo de senhores, por várias noites, reuniu-se para discutir sobre os assuntos de alta transcendência – coisas metafísicas. No grupo, um dos participantes se destacava pelo silêncio. Numa das noites, incitado por um dos participantes, o casmurro usou a palavra...   (continua)


  •    Quando jovens, cultivávamos a utopia de um mundo melhor. Tenho refletido sobre isso. Tenho lido e pesquisado sobre a história do nosso comportamento através dos séculos. Parece que, apesar de toda a violência atual, fomos ficando menos violentos. Difícil acreditar, eu sei.   (continua)


  •    Rei Lear é uma das peças mais citadas em textos sobre o envelhecimento. A montagem de Juca de Oliveira é uma oportunidade para aqueles interessados em conhecer a obra, uma vez que a chance é mínima de assistirem uma encenação clássica, completa, algo distante ...   (continua)


  • “Não me deixe rezar por proteção contra os perigos,
    mas pelo destemor em enfrentá-los.
    Não me deixe implorar pelo alívio da dor,
    mas pela coragem de vencê-la...
    (continua)


  •    Quando fico angustiado com as notícias brasileiras, ligo para o Nelson Rodrigues. Ele me dá bons conselhos lá do céu de papelão, entre nuvens de algodão e estrelas de papel prateado — seu paraíso é um cenário de teatro de revistas. O telefone toca como uma trombeta suave. Ele já sabe quem é: '— Você, hein? Só me liga quando está encalacrado.'   (continua)


  •    Quem não tem namorado é alguém que tirou férias não remuneradas de si mesmo. Namorado é a mais difícil das conquistas. Difícil porque namorado de verdade é muito raro. Necessita de adivinhação, de pele, saliva, lágrima, nuvem, quindim, brisa ou filosofia...   (continua)


  •       Adaptação ao texto original de Rosemarie Urquico
       “Encontre uma pessoa que lê. Namore uma pessoa que gasta seu dinheiro em livros, em vez de roupas. Namore uma pessoa que tem uma lista de livros que quer ler e que possui seu cartão de biblioteca. Você sabe que ela lê porque ela sempre vai ter um livro não lido consigo.   (continua)


Copyright 2011-2020
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília