Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Guardanapos de Papel - Milton Nascimento

Enviado por Gilberto Godoy

"Na minha cidade tem poetas, poetas,
Que chegam sem tambores nem trombetas, trombetas,
E sempre aparecem quando menos aguardados, guardados, guardados,
Entre livros e sapatos, em baús empoeirados.
Saem de recônditos lugares no ares, nos ares,
Onde vivem com seus pares seus pares, seus pares,
Seus pares e convivem com fantasmas multicores, de cores, de cores,
Que te pintam as olheiras e te pedem que não chores
Suas ilusões são repartidas partidas, partidas,
Entre mortos e feridas, feridas, feridas,
Mas resistem com palavras, confundidas, fundidas, fundidas,
Ao seu triste passo lento pelas ruas e avenidas.
Não desejam glorias nem medalhas, medalhas, medalhas,
Se contentam com migalhas, migalhas 
Migalhas de canções e brincadeiras com seus versos dispersos, dispersos,
Obcecados pela busca de tesouros submersos.
Fazem quatrocentos mil projetos, projetos, projetos,
Que jamais são alcançados cansados, cansados,
Nada disso importa enquanto eles escrevem, escrevem, escrevem,
O que sabem que não sabem e o que dizem que não devem.
Andam pelas ruas os poetas, poetas, poetas,
Como se fossem cometas, cometas, cometas,
Num estranho céu de estrelas idiotas e outras, e outras,
Cujo brilho sem barulho veste suas caldas tortas.

Na minha cidade tem canetas, canetas, canetas,
Esvaindo-se em milhares, milhares,
Milhares de palavras retorcidas e confusas, confusas, confusas,
Em delgados guardanapos, feito moscas inconclusas.
Andam pelas ruas escrevendo e vendo, e vendo,
Que eles vêm nos vão dizendo, dizendo,
E sendo eles poetas de verdade enquanto espiam e piram, e piram,
Não se cansam de falar do que eles juram que não viram.
Olham para o céu esses poetas, poetas, poetas,
Como se fossem lunetas, lunetas, lunáticas,
Lançadas ao espaço e o mundo inteiro, inteiro, inteiro,
Fossem vendo pra depois voltar pro Rio de Janeiro."

          Post em homenagem a minha grande amiga e psicóloga Mérian Borges que adora esta música. Realmente uma poesia, sobretudo na interpretação de Milton Nascimento.

Comentários

Também recomendo

  •    A incrível voz de Ana Vieira no sensacional arranjo de Rodrigo Costa Leão Muñoz Miguez (Lisboa, 15 de outubro de 1964), um talentoso músico e compositor português. Tornou-se conhecido nas bandas Sétima Legião e Madredeus.


  •    Interior da Espanha. Numa cidadezinha há uma capela aonde sempre acontecem shows para grupos de 10 pessoas. Você chega lá e, de surpresa, assiste isto aí. Que momento sublime! 'Libertango' (Astor Piazzolla) by Javier Albarés (cello).


  •    Quase 50 anos depois de iniciado o movimento, depois de aviões sob a cabeça e prisões, estamos aqui. São 70 anos de vida e 50 de carreira de Gil; 40 anos de um discaço pra inglês ver de Caetano. Foram-se Torquato, Glauber e Oiticica. Outros muitos sobreviveram ao exílio, ao...   (continua)


  •    Um espatáculo! A dança é uma criação de Lil Buck.


  •    Esta é a música da Annie Lennox que mais gosto, exatamente nesta interpretação. Versão ao vivo com ela ao piano no aniversário de 25 anos da Records. Forte e linda!

    "...I can feel I can feel you baby, why
    It's not supposed to feel this way
    (continua)

  •    "Coração não é tão simples quanto pensa. Nele cabe o que não cabe na dispensa..."


  •    Jorge Drexler (Montevideo, 21 de setembro de 1964) é um cantor e compositor uruguaio, mais conhecido pela sua canção “Al otro lado del río”, a primeira música em espanhol a vencer o Oscar de melhor canção. O álbum Sea foi indicado ao Latin Grammy Awards...   (continua)


  •    Alfonsina Storni nasceu na Suíça, no Cantão Italiano, em 29 de Maio de 1892. Chamaram-na Alfonsina, que quer dizer "disposta a tudo". Em 1896 imigrou com os seus pais para a província de San Juan na Argentina. Aos 12 anos, Alfonsina...   (continua)


Copyright 2011-2020
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília