Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Nesta rua - Villa-Lobos

Enviado por Gilberto Godoy

     Belíssima interpretação para esta música de um gênio.

     Heitor Villa-Lobos (Rio de Janeiro, 5 de março de 1887 – Rio de Janeiro, 17 de novembro de 1959) foi um maestro e compositor brasileiro.
 
     Destaca-se por ter sido o principal responsável pela descoberta de uma linguagem peculiarmente brasileira em música, sendo considerado o maior expoente da música do modernismo no Brasil, compondo obras que enaltecem o espírito nacionalista onde incorpora elementos das canções folclóricas, populares e indígenas.

     Filho de Noêmia Monteiro Villa-Lobos e Raul Villa-Lobos, foi desde cedo incentivado aos estudos, pois sua mãe queria vê-lo médico. No entanto, Raul Villa-Lobos, pai do compositor, funcionário da Biblioteca Nacional e músico amador, deu-lhe instrução musical[4] e adaptou uma viola para que o pequeno Heitor iniciasse seus estudos de violoncelo. Aos 12 anos, órfão de pai,[6] Villa-Lobos passou a tocar violoncelo em teatros, cafés e bailes; paralelamente, interessou-se pela intensa musicalidade dos "chorões", representantes da melhor música popular do Rio de Janeiro, e, neste contexto, desenvolveu-se também no violão. De temperamento inquieto, empreendeu desde cedo escapadas pelo interior do Brasil, primeiras etapas de um processo de absorção de todo o universo musical brasileiro. Em 1913 Villa-Lobos casou-se com a pianista Lucília Guimarães, indo viver no Rio de Janeiro.
 
     Em 1922 Villa-Lobos participa da Semana da Arte Moderna, no Teatro Municipal de São Paulo. No ano seguinte embarca para Europa, regressando ao Brasil em 1924. Viaja novamente para a Europa em 1927, financiado pelo milionário carioca Carlos Guinle. Desta segunda viagem retorna em 1930, quando realiza turnê por sessenta e seis cidades. Realiza também nesse ano a " Cruzada do Canto Orfeônico" no Rio de Janeiro. Seu casamento com Lucília termina na década de 1930. Depois de operar-se de câncer em 1948, casa-se com Arminda Neves d'Almeida a Mindinha, uma ex-aluna,[8] que depois de sua morte se encarrega da divulgação de uma obra monumental.[9] O impacto internacional dessa obra fez-se sentir especialmente na França e EUA, como se verifica pelo editorial que o The New York Times dedicou-lhe no dia seguinte a sua morte. Villa-Lobos nunca teve filhos.
 
     Faleceu em 17 de novembro de 1959. Encontra-se sepultado no Cemitério São João Batista no Rio de Janeiro.
     Em 1960, o governo do Brasil criou o Museu Villa-Lobos na cidade do Rio de Janeiro.  Vale a pena visitar!

     Voz: Ana Salvagni   -   Violoncelo: Lara Ziggiatti   -  Arranjo: José Eduardo Gramani

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •    Sarah Blackwood e um grupo chamado Walk Off the Earth, tocam apenas um violão. A virtuosidade reside exatamente na capacidade do grupo partilhar o mesmo intrumento tocando uma versão de "Somebody That I Used To Know" de Gotye e Kimbr. Belo!

     


  •    Um hino. Simplicidade e serenidade como a vida merece. Uma equação perfeita: música e poesia, num sussurro de ternura. Sublime!


  • "Uma casinha qualquer no colo da serra,
    Um palmo de terra pra se plantar.
    Um colo de uma mulher, uma companheira,
    Uma brasileira pra se amar.
    Se eu tiver que lutar, vou é lutar por ela.
    Se eu tiver que morrer, vou é morrer por ela...."
    (continua)


  •    Que qualidade de música! Letra (magnífica), melodia, show, edição do vídeo etc. Sensacional!  Realizado na Concha Acústica do Teatro Castro Alves - Salvador. Realização e Produção: Esquisito Cultura e Quizumba. Parabéns rapazes.

    "Olha lá, quem vem do lado oposto
    Vem sem gosto de viver... (continua)


  •       Uma das grandes composições de Marcelo Camelo. Não é tão claramente romântica como o resto do álbum, se relaciona com a atual “fase paulista” da sua vida, dando um adeus (ou um ‘até logo’) ao seu passado com uma certa nostalgia. O arranjo de metais climatiza a canção, construindo um ambiente muito próprio para um final de álbum, aquela sensação de dever cumprido… Excelente música!


  •    Que interpretação sensacional da Maria Rita! Uma das mais belas músicas... e a letra tem tudo a ver com o momento de 'tanta chuva'. Recomendo enfaticamente.   

    "... Quem é você pra me chamar aqui se nada aconteceu?
    Me diz, foi só amor ou medo de ficar sozinho outra vez?   (continua)


  •    Erik Satie's Gymnopedie No.1 accompanied by beautiful scenes of Autumn. From the ABC Classics DVD Swoon - a visual and musical odyssey.
       Esta música rima com este poema:   (continua)


  •    Toquinho interpreta um medley 'Eu sei que vou te amar / Onde anda você', de Tom Jobim e Vinicius de Moraes acompanhado pela Orquestra Sinfônica Arte Viva sob regência do Maestro Amilson Godoy. Este canal foi criado para divulgar trabalhos realizados pela TV Godoy Filmes e e pela Orquestra Sinfônica Arte Viva. (continua)


Copyright 2011-2020
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília