Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

À espera dos bárbaros - Konstantinos Kaváfis

Enviado por Gilberto Godoy
a-espera-dos-barbaros---konstantinos-kavafis

"O que esperamos na ágora reunidos?
É que os bárbaros chegam hoje.

Por que tanta apatia no senado? 
Os senadores não legislam mais?

É que os bárbaros chegam hoje 
Que leis hão de fazer os senadores? 
Os bárbaros que chegam as farão.

Por que o imperador se ergueu tão cedo 
e de coroa solene se assentou 
em seu trono, à porta magna da cidade?

É que os bárbaros chegam hoje. 
O nosso imperador conta saudar 
o chefe deles. Tem ponto para dar-lhe 
um pergaminho no qual estão escritos 
muitos nomes e títulos.

Por que hoje os dois cônsules e os pretores 
usam togas de púrpura, bordadas, 
e pulseiras com grandes ametistas 
e anéis com tais brilhantes e esmeraldas? 
Por que hoje empunham bastões tão preciosos, 
de ouro e prata finamente cravejados?

É que os bárbaros chegam hoje, 
tais coisas os deslumbram.

Por que não vêm os dignos oradores 
derramar o seu verbo como sempre?

É que os bárbaros chegam hoje 
e aborrecem arengas, eloquencias.

Por que subitamente esta inquietude? 
(Que seriedade nas fisionomias!) 
Por que tão rápido as ruas se esvaziam 
e todos voltam para casa preocupados?

Porque é já noite, os bárbaros não vêm 
e gente recém-chegada das fronteiras 
diz que não há mais bárbaros.

Sem bárbaros o que será de nós? 
Ah! eles eram uma solução."

 

     Konstantinos Kaváfis (Alexandria, 29 de abril de 1863 - Alexandria, 29 de abril de 1933) - Considerado um dos maiores poetas gregos modernos. Não chegou a publicar nenhum livro, apenas poemas em folhetins e jornais. Após sua morte, foi publicado um livro com os 154 poemas que escreveu. Todos os poemas foram traduzidos por José Paulo Paes.

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

Copyright 2011-2020
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília