Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Dinheiro traz felicidade?

Enviado por Gilberto Godoy
dinheiro-traz-felicidade-

     Segundo este estudo dinheiro não traz felicidade. Mas que ajuda, ajuda!

    Você está feliz com o que você ganha? Ou você está feliz, porque você ganha mais do que seu vizinho? Pesquisadores da Universidade de Warwick e Cardiff, ambas da Grã-Bretanha, descobriram que o dinheiro só traz felicidade se ao mesmo tempo melhora a sua condição social: ganhar bem não é o suficiente para ser feliz, as pessoas devem saber que ganham mais que seus amigos e colegas.

     De acordo com Chris Boyce do Departamento de Psicologia da Universidade de Warwick e autor do estudo, continuamos a acreditar que o dinheiro é o maior sinal de sucesso.

    - "Nosso estudo mostra que a corrida ao status significa que as pessoas simplesmente se esforçam para agradar os outros", disse.

     No estudo, intitulado "Dinheiro e Felicidade: o nível de renda, determina a satisfação com a vida", os pesquisadores tentaram explicar por que, apesar do crescimento econômico que levou a um aumento substancial no salário médio, em alguns países, as pessoas não aumentaram a sua felicidade nos últimos 40 anos.

     Para fazer isso, os pesquisadores estudaram os dados dos últimos sete anos, em renda e satisfação de vida das famílias amostradas no British Household Panel Survey britânico. Eles descobriram que a satisfação foi maior quando relacionada com a posição social do rendimento da pessoa, que, quando comparado apenas com o que ganhou.

     A este respeito, Boyce disse que o dinheiro pouco contribui para o bem-estar do indivíduo: - "Ele tem sua importância, mas a consideração de qualquer benefício criado pelo dinheiro, pode ser perdida quando é contrastada com as dos outros."

     No mesmo sentido, a pesquisa apontou que há maneiras de ser mais eficiente desfrutando o tempo com amigos e familiares, do que muitas vezes sacrificando-se em busca de riqueza.

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •        "Acontece que o Conde Matarazzo estava passeando pelo parque. O Conde Matarazzo é um Conde muito velho, que tem muitas fábricas. Tem também muitas honras. Uma delas consiste em uma preciosa medalhinha de ouro que o Conde exibia à lapela, amarrada a uma fitinha. Era uma condecoração (sem trocadilho).   (continua)


  •    Existem coisas que nunca esquecemos, os cheiros é uma delas. Inúmeras vezes nos deparamos com um cheiro e ele nos remete a lembranças remotas ou não. No início de 2010 li “Os Cheiros” escrito por Danuza Leão, tirei a página da revista e sempre voltava a lê-lo.   (continua)


  •    O título parece complicado, mas não é. Metáforas são figuras de linguagem que substituem uma coisa por outra. São indispensáveis na expressão da vida. Por exemplo: o coração, que é um órgão do corpo humano passível de cirurgia, palpitação e substituição, é uma metáfora do amor...   (continua)


  •    Uma mulher espalhou uma fofoca sobre uma certa pessoa que ela não conhecia bem, mas a invejava. Alguns dias depois, o bairro inteiro sabia a história. A pessoa que foi alvo da fofoca ficou indignada e muito ofendida. Mais tarde, a mulher que espalhou o boato descobriu que era...   (continua).


  •    Endureçamos a bondade, amigos. Ela também é bondosa, a cutilada que faz saltar a roedura e os bichos: também é bondosa a chama nas selvas incendiadas para que os arados bondosos fendam a terra. Endureçamos a nossa bondade, amigos. Já não há pusilânime de...   (continua)


  •    Assisti a uma reportagem no programa Fantástico, da TV Globo, que além de ter me emocionado bastante, mostrou uma experiência insólita, rara e belíssima. Um garoto de oito anos, de uma cidade dos Estados Unidos, ganhou um prêmio em sua escola, de mil dólares. Poderia ter...   (continua)


  •    Mexo em textos antigos, e encontro um que me dá sentimentos dúbios, uma espécie de alegria melancólica, como se fosse um reencontro fugaz com uma pessoa querida. Você quer segurá-la, mas ela tem que partir. O tema era papai, e mamãe ainda vivia. Engraçado como...   (continua)


  •    Que se passa para nós no domínio musical? Devemos em primeiro lugar aprender a ouvir um motivo, uma ária, de uma maneira geral, a percebê-lo, a distingui-lo, a limitá-lo e isolá-lo na sua vida própria; devemos em seguida fazer um esforço de boa vontade —   (continua)
     


Copyright 2011-2017
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: iDev Web