Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Grandes tecnólogos querem filhos em escolas sem micro

Enviado por Gilberto Godoy
grandes-tecnologos-querem-filhos-em-escolas-sem-micro

    A CNN fez uma matéria sobre um novo fenômeno no Vale do Silício: pais que trabalham na indústria da tecnologia estão colocando seus filhos em escolas criadas para evitar a tecnologia. Na escola mostrada na reportagem, a escola Waldorf da Peninsula, não há nenhum computador por lá.

     Pais, como o executivo do eBay que aparece na matéria, acreditam que há tempo para tecnologia fora da escola, e que as salas de aula devem ser um lugar mais social, com atividades de aprendizado mais naturais. Crianças jogando bolas. Tocando instrumentos. Nas escolas Waldorf espalhadas pelo mundo, uma aversão à tecnologia não é uma diretriz básica. Trata-se apenas de um subproduto para um formato diferente de educação.

     Há certo apelo aqui. Crianças sem dúvida devem usar seu tempo correndo por aí. E, como os pais entrevistados admitem, há muito valor em aprender ciência sem um computador. Mas precisa ser assim, tudo ou nada? Uma escola deve ser competente o bastante para incorporar importantes e educacionais aspectos da tecnologia. A tela é capaz de mostrar mais do que compilações de imagens com meme faces e pornografia.

     Fonte: CNN

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •    Você já pensou em por que nós nunca esquecemos coisas que aprendemos quando criança? O ser humano aprende, preferencialmente, pela repetição. A criança repete o que os pais falam, o que os pais fazem, as músicas e os gestos. Mas na hora do estudo...   (continua)


  •    ​Dá pra acreditar que um professor possa ganhar 4 milhões de dólares por ano, honestamente, apenas dando aulas? No Brasil não, mas na Coreia do Sul isso é possível!  Lá existe a chamada hagwon, uma espécie de escola noturna de reforço escolar, para os ensinos fundamental e médio, onde...   (continua)


  •    Crianças precisam muito de orientação com qualidade. Para isto os pais, professores e familiares necessitam criar e sugerir atividades que sejam atrativas para que as crianças fiquem engajadas na diversão. Aqui vão algumas dicas interessantes.   (continua)



  •         Mário Sérgio Cortella resume bem a tarefa do professor. Boa!


  •    Em 1943, o psicólogo Ibrahim Maslow, desenvolveu uma série de conceitos visando estimular as pessoas para o aprendizado. Criou uma escola de pensamento que se contrapôs, ao longo das décadas, ao mecanicismo do ensino convencional.   (continua)



  •      Para os meus amigos psicanalistas, uma boa metáfora. Boa reflexão!


  •    "Nos Estados Unidos, jovens ingressam em universidades. No Brasil, jovens ingressam em cursos universitários. Esse é uma diferença profunda entre os dois sistemas. Se um aluno de uma instituição federal de ensino consegue vencer as barreiras...   (continua)


  •    Há algum tempo, em sua primeira semana de aula na faculdade, uma aluna teve suas pernas queimadas em um dia de acolhimento de calouros. Jovem, em seus 17 anos e feliz por realizar o sonho de ingressar em uma faculdade. Mas em um dia que deveria ser de festa foi interceptada por “colegas” veteranos.   (continua)


  •        As escolas matam a criatividade? Veja a visão de Ken Robinson.


  •    Especialista em questões relacionadas à família e à escola, a psicóloga paulistana Rosely Sayão acredita que as crianças estão sendo educadas sob o peso da superproteção, o que as desconecta da realidade. O excesso de zelo também dificulta o desenvolvimento da resiliência...   (continua)


  •      Muitos pais estabelecem, desde a infância, uma quantia de dinheiro que dão aos filhos, para que estes possam aprender a administrar seu próprio "salário". Entretanto, é preciso saber dosar o "benefício" dos filhos, mostrando a eles que é preciso cumprir algumas normas e que o dinheiro não vem de forma gratuita. É essa linha de pensamento que Vitor Yamada, juiz do trabalho de Rondônia, usa com seus dois filhos, Giullia e Vitor.   (continua)


  •    No meu tempo de criança, os pais eram pessoas esforçadas pelo sustento da família. Com ostentação ou sem, as pessoas eram mais preocupadas com o trabalho do que com ser feliz. Talvez por isso, já que filhos querem sempre fazer tudo diferente dos pais, agora todo mundo quer fazer o filho feliz...   (continua)


Copyright 2011-2020
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília