Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

O sistema de leitura táctil de William Moon

Enviado por Gilberto Godoy
o-sistema-de-leitura-tactil-de-william-moon

     Ainda que todos saibamos o que é o método Braille  de leitura criado por Louis Braille em 1830, poucos sabemos como ele funciona. Confesso que nunca tinha me interessado pelo assunto até um amigo se acidentar e perder a visão. Ele, em poucas semanas, aprendeu a ler pelo novo método. A explicação é que quando a gente perde um dos sentidos, os outros afloram. Eu tentei algumas vezes, mas lógico que não aprendi nada.

      Mas o que poucos sabem mesmo é que existem outras propostas encaminhadas ao mesmo propósito. Uma delas, que conheci dias atrás, foi a de William Moon em 1843, quando o método Braille não estava largamente difundido ainda. Moon era um jovem que queria ser padre, mas não conseguiu realizar seu desejo porque aos 21 anos, por causa de um longo processo iniciado quando tinha apenas quatro anos ao contrair uma doença infecciosa, ficou cego por completo.

     Depois de muita batalha Moon conseguiu licenciar-se em direito, chegando a ser doutor em leis, mas jamais pôde ser ordenado sacerdote. A partir desse momento decidiu criar um método efetivo e simples para ler livros. Seu objetivo fundamental era conseguir uma versão da Bíblia que os cegos pudessem ler, de modo que partindo de um método próprio de tipografia táctil pensado de forma muito inteligente para que fosse muito simples de aprender, sobretudo para quem já tivesse tido a oportunidade de aprender a ler e escrever normalmente e ficado cego mais tarde. Lutou sem descanso até conseguir seu sonho, ainda que tenha lhe custado anos de experimentação e busca de financiamento. O método Moon foi adotado com rapidez por muitos impressores de livros para cegos, entre os quais se encontrava o próprio William, que com sua própria empresa, na qual costumava empregar pessoas cegas ou com deficiência visual, conseguiu que seu código, junto com o Braille, fosse o mais utilizado neste tipo de livros.

Por que o Braille se impôs com o passar dos anos? O método Moon é simples, mas ele só parece fácil de aprender para quem perdeu a visão após saber ler normalmente - por causa da associação com as letras. O sistema baseia-se em formas singelas inspiradas por letras romanas postas em relevo que, ao ser impressas com os métodos do século XIX, resultavam no problema de transformar pequenos textos em livros muito grossos de complicada encadernação. Hoje em dia a tecnologia já consegue contornar estes problemas, motivo pelo qual este método de leitura táctil está renascendo pouco a pouco.

Se você quiser saber como funciona o método Braille de leitura, existe um curso muito bacana da USP que ensina as pessoas que veem normalmente como funciona o método.

Comentários

  • por: isabela Godoi em quarta-feira, 24 de agosto de 2011
    Olá!!!!!!!!! Conhecer o método Braille é muito interessante.Podemos aprender a ler e escrever em Braille. Aqui vai uma curiosidade:Nós, Videntes(termo usado para quem enxerga) só conseguimos ler o Braille visualizando,ou seja, não temos a capacidade de ler pelo tato como as pessoas cegas. Interessante não é??????? Aqui em Bsb, a escola para deficientes visuais fica na 612 sul.vale a pena conhecer. Lá também oferecem cursos diversos para a comunidade,incluindo o aprendizado do sistema Braille. Bjus a todos Isabela

Também recomendo

  •    Ela entrou, deitou-se no divã e disse: "Acho que estou ficando louca". Eu fiquei em silêncio aguardando que ela me revelasse os sinais da sua loucura. "Um dos meus prazeres é cozinhar. Vou para a cozinha, corto as cebolas, os tomates, os pimentões , é uma alegria! Entretanto...   "   (continua)


  •    Sou, com frequencia, chamado a fazer palestras para turmas de formandos. Orgulha-me poder orientar jovens em seus primeiros passos profissionais. Há uma palestra que alguns podem conhecer já pela web, mas queria compartilhar seus fundamentos com os leitores da coluna.   (continua)


  •     Texto de Marina Colasanti na voz de Juca de Oliveira.
       "Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia. A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor. E porque não tem vista, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas.   (continua)


  •    “E no meio dessa confusão alguém partiu sem se despedir; foi triste. Se houvesse uma despedida talvez fosse mais triste, talvez tenha sido melhor assim, uma separação como às vezes acontece em um baile de carnaval, uma pessoa se perde da outra, procura-a...   (continua)


  •    Você está feliz com o que você ganha? Ou você está feliz, porque você ganha mais do que seu vizinho? Pesquisadores da Universidade de Warwick e Cardiff, ambas da Grã-Bretanha, descobriram que o dinheiro só traz felicidade se ao mesmo tempo...   (continua)


  •    A lista de mortos da gente vai aumentando com o tempo. Quando eu era pequena não tinha noção desse morre e nasce. Mesmo porque ninguém meu morria. Tudo tinha um quê tão definido de eternidade, tudo durava tanto e a vida não faltava; a vida era pontual como...   (continua)


  •    O cinismo nasceu idealista, otimista mesmo. Na Grécia Antiga, o cinismo começou como corrente filosófica que pregava que o propósito da vida era viver na virtude, de acordo com a natureza. Seus praticantes eram chamados de cínicos. Os cínicos gregos...   (continua)


  •    Você já parou para pensar no autoengano? Todos nós estamos familiarizados, de uma forma ou de outra, com as mentiras. Alguns são mais corajosos e admitem que são capazes de mentir, outros não admitem essa fraqueza.   (continua)


Copyright 2011-2020
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília