Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Dinheiro traz felicidade?

Enviado por Gilberto Godoy
dinheiro-traz-felicidade-

     Segundo este estudo dinheiro não traz felicidade. Mas que ajuda, ajuda!

    Você está feliz com o que você ganha? Ou você está feliz, porque você ganha mais do que seu vizinho? Pesquisadores da Universidade de Warwick e Cardiff, ambas da Grã-Bretanha, descobriram que o dinheiro só traz felicidade se ao mesmo tempo melhora a sua condição social: ganhar bem não é o suficiente para ser feliz, as pessoas devem saber que ganham mais que seus amigos e colegas.

     De acordo com Chris Boyce do Departamento de Psicologia da Universidade de Warwick e autor do estudo, continuamos a acreditar que o dinheiro é o maior sinal de sucesso.

    - "Nosso estudo mostra que a corrida ao status significa que as pessoas simplesmente se esforçam para agradar os outros", disse.

     No estudo, intitulado "Dinheiro e Felicidade: o nível de renda, determina a satisfação com a vida", os pesquisadores tentaram explicar por que, apesar do crescimento econômico que levou a um aumento substancial no salário médio, em alguns países, as pessoas não aumentaram a sua felicidade nos últimos 40 anos.

     Para fazer isso, os pesquisadores estudaram os dados dos últimos sete anos, em renda e satisfação de vida das famílias amostradas no British Household Panel Survey britânico. Eles descobriram que a satisfação foi maior quando relacionada com a posição social do rendimento da pessoa, que, quando comparado apenas com o que ganhou.

     A este respeito, Boyce disse que o dinheiro pouco contribui para o bem-estar do indivíduo: - "Ele tem sua importância, mas a consideração de qualquer benefício criado pelo dinheiro, pode ser perdida quando é contrastada com as dos outros."

     No mesmo sentido, a pesquisa apontou que há maneiras de ser mais eficiente desfrutando o tempo com amigos e familiares, do que muitas vezes sacrificando-se em busca de riqueza.

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •      "Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final. Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver. Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.   (continua)
      * Veja sobre Psicólogo Brasília na Clínica Brasília de Psicologia ou AQUI.


  •      Um grupo de senhores, por várias noites, reuniu-se para discutir sobre os assuntos de alta transcendência – coisas metafísicas. No grupo, um dos participantes se destacava pelo silêncio. Numa das noites, incitado por um dos participantes, o casmurro usou a palavra...   (continua)


  •    Quando jovens, cultivávamos a utopia de um mundo melhor. Tenho refletido sobre isso. Tenho lido e pesquisado sobre a história do nosso comportamento através dos séculos. Parece que, apesar de toda a violência atual, fomos ficando menos violentos. Difícil acreditar, eu sei.   (continua)


  •    Rei Lear é uma das peças mais citadas em textos sobre o envelhecimento. A montagem de Juca de Oliveira é uma oportunidade para aqueles interessados em conhecer a obra, uma vez que a chance é mínima de assistirem uma encenação clássica, completa, algo distante ...   (continua)


  • “Não me deixe rezar por proteção contra os perigos,
    mas pelo destemor em enfrentá-los.
    Não me deixe implorar pelo alívio da dor,
    mas pela coragem de vencê-la...
    (continua)


  •    Quando fico angustiado com as notícias brasileiras, ligo para o Nelson Rodrigues. Ele me dá bons conselhos lá do céu de papelão, entre nuvens de algodão e estrelas de papel prateado — seu paraíso é um cenário de teatro de revistas. O telefone toca como uma trombeta suave. Ele já sabe quem é: '— Você, hein? Só me liga quando está encalacrado.'   (continua)


  •    Quem não tem namorado é alguém que tirou férias não remuneradas de si mesmo. Namorado é a mais difícil das conquistas. Difícil porque namorado de verdade é muito raro. Necessita de adivinhação, de pele, saliva, lágrima, nuvem, quindim, brisa ou filosofia...   (continua)


  •       Adaptação ao texto original de Rosemarie Urquico
       “Encontre uma pessoa que lê. Namore uma pessoa que gasta seu dinheiro em livros, em vez de roupas. Namore uma pessoa que tem uma lista de livros que quer ler e que possui seu cartão de biblioteca. Você sabe que ela lê porque ela sempre vai ter um livro não lido consigo.   (continua)


Copyright 2011-2021
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília