Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Escolha bons parceiros existenciais

Enviado por Gilberto Godoy
escolha-bons-parceiros-existenciais

   Título original: Escolher com quem você se relaciona é a decisão mais importante da vida - Por Redação Galileu

   De acordo com Moran Cerf, neurocientista da Universidade Northwestern que estuda a tomada de decisões há mais de uma década, a maneira mais segura de maximizar a felicidade não tem nada a ver com experiências, bens materiais ou filosofia pessoal. Mas sim com quem você decide passar o tempo junto, "não é apenas um conselho dizer para escolher seus amigos com cuidado", afirma ao Business Insider.

   A pesquisa do especialista mostra que, quando duas pessoas estão na companhia uma da outra, suas ondas cerebrais começam a parecer quase idênticas. Um estudo com espectadores, por exemplo, mostrou que os trailers de filme produzem padrões semelhantes no cérebro das pessoas.

   "Quanto mais estudamos as relações, mais vemos que apenas estar ao lado de certas pessoas realmente alinha seu cérebro com elas", disse Cerf. "Isso significa que as pessoas com quem você sai realmente têm um impacto no seu envolvimento com a realidade além do que você pode explicar. E um dos efeitos é que você se torna semelhante." A pesquisadora afirma que isso influencia em percepções como a percepção de sons, cheiros e outros fatores. 

   A conclusão de Cerf é que, se as pessoas desejam maximizar a felicidade e minimizar o estresse, elas devem construir uma vida que exige menos decisões cercando-se de pessoas que incorporam os traços que preferem. Ao longo do tempo as atitudes e os comportamentos desejáveis serão mais frequentes.

   Essas pessoas também podem tomar decisões "menos importantes" para você, como onde comer ou qual prato pedir — escolhas que, de acordo com o neurocientista, também exigem energia. Por isso, Cerf brinca que prefere "escolher com quem comer do que o quê comer".

     Fonte: revista Galileu

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •    Você já deve ter ouvido, alguma vez, aquela historinha da galinha e do porco que conta sobre a diferença entre estar envolvido e estar comprometido. Ou seja, a galinha está envolvida numa omelete porque cede o seu ovo, parte de si mesma para que a omelete aconteça; e o porco está...   (continua)


  •    O casamento é uma defesa eficaz contra o declínio natural de satisfação com a vida, afirmam psicólogos norte-americanos. Apesar das crises e das críticas, o efeito benéfico do matrimônio é superior ao do nascimento de um filho. Muito já se falou sobre a falência do casamento. Não faltam exemplos...   (continua)


  •    Nas relações humanas no trabalho, existem apenas 3 regras: número 1: colegas passam (e chefes também), mas inimigos são para sempre. A chance de uma pessoa se lembrar de um favor que você fez a ela vai diminuindo à taxa de 20% ao ano. Cinco anos depois, o favor será...   (continua)


  •   Em maio de 1955, a revista Housekeeping Monthly publicou um artigo chamado “o guia da boa esposa”, que ditava o que a mulher deveria fazer para ser boa com seu marido e filhos. É difícil de acreditar mas é interessante olhar para o passado e ver como nossa cultura continua a mudar.
    1. Tenha o jantar sempre pronto. Planeje com antecedência. Esta é uma maneira de deixá-lo saber que se importa com ele e com sua necessidades; 2. A maioria dos homens estão com fome quando chegam em casa, e esperam por...   (continua)


  •    Se você acha que é mais fácil negar um pedido de amizade online do que evitar uma pessoa cara-a-cara, você não está sendo tão “misericordiosa” assim: esse tipo de exclusão dói tanto quanto o outro. Segundo um novo estudo, pessoas que são excluídas por outras online, como nas...   (continua)


  •    A fim de reduzir o número de divórcios, garantir a manutenção dos filhos e agilizar os trâmites administrativos em caso de uma ruptura a assembléia legislativa do Distrito Federal, no México discutirá a proposta de casamentos renováveis.   (continua)


  •    Depois de muito meditar sobre o assunto concluí que os casamentos são de dois tipos: há os casamentos do tipo tênis e há os casamentos do tipo frescobol. Os casamentos do tipo tênis são uma fonte de raiva e ressentimentos e terminam sempre mal.   (continua)


  •    Raymundo de Lima
       Há um grave e silencioso problema social entre homens e mulheres em nosso tempo: o temor de passarem dos 30 anos e ficarem solteiros. Hoje, de Nova York a Cingapura, passando por Maringá, não conseguir encontrar a alma gêmea...   (continua)


Copyright 2011-2020
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília