Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Não faça inimigos no trabalho - Max Gheringer

Enviado por Gilberto Godoy
nao-faca-inimigos-no-trabalho---max-gheringer

     Nas relações humanas no trabalho, existem apenas 3 regras:

     Regra número 1: colegas passam (e chefes também), mas inimigos são para sempre. A chance de uma pessoa se lembrar de um favor que você fez a ela vai diminuindo à taxa de 20% ao ano. Cinco anos depois, o favor será esquecido. Não adianta mais cobrar. Mas a chance de alguém se lembrar de uma desfeita se mantém estável, não importa quanto tempo passe.

     Exemplo: se você estendeu a mão para cumprimentar alguém em 1997 e a pessoa ignorou sua mão estendida, você ainda se lembra disso em 2007.

     Regra número 2: A importância de um favor diminui com o tempo, enquanto a  importância de uma desfeita aumenta. Favor é como um investimento de curto  prazo. Desfeita é como um empréstimo de longo prazo. Um dia, ele será cobrado, e com juros.

     Regra número 3: Um colega não é um amigo. Colega é aquela pessoa que, durante algum tempo, parece um amigo. Muitas vezes, até parece o melhor amigo, mas isso só dura até um dos dois mudar de cargo ou de emprego.

     Amigo é aquela pessoa que liga para perguntar como você está e sempre reclama porque sumiu. Ex-colega que parecia amigo é aquela pessoa que você liga para pedir alguma coisa, e ela manda dizer que no momento não pode atender.

     Durante sua carreira, uma pessoa normal terá a impressão de que fez um milhão de amigos, na verdade teve colegas e apenas meia dúzia de inimigos.
Estatisticamente, isso parece ótimo. Mas não é. A Lei da Perversidade Profissional diz que, no futuro, quando você precisar de ajuda, é possível que quem mais poderá ajudá-lo é exatamente um daqueles poucos amigos.

     Portanto, profissionalmente falando, e pensando a longo prazo, o sucesso consiste, principalmente, em evitar fazer inimigos. Porque, por uma infeliz coincidência biológica, os poucos inimigos são exatamente aqueles que tem boa memória, e segundo ditado popular (bem popular mesmo ):

     "Os amigos vem e vão, os inimigos se acumulam...."

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •    A internet mudou a vida para melhor. É comum conhecer alguém pelas redes sociais. Pela web, dá para fazer perguntas essenciais e chegar ao primeiro encontro sabendo até quantos implantes alguém tem na boca – algo que facilita a intimidade.   (continua)


  •    O amor é química, emoção, sentimento e, sobretudo, metafísica. Ao menos esta última deduzimos da história vital de um casal californiano, que se casou há 62 anos e cumpriu sua promessa de viver juntos até que a morte os separasse.   (continua)


  •    Ninguém duvida que o casamento representa uma boa mudança nas contingências de vida de um casal. Hábitos, comportamentos encadeados mudam significativamente. As mudanças que devem enfrentar e o processo de adaptação que exige compartilhar sua vida...   (continua)


  •    A promessa "até que a morte nos separe" é cada vez menos cumprida pelos casais. A possibilidade de se divorciar com mais facilidade e ter a esperança de iniciar uma nova vida com outra pessoa faz com que muitos relacionamentos acabem. De acordo com o IBGE...   (continua)
       * Veja sobre Psicólogo Brasília na Clínica Brasília de Psicologia ou AQUI.


  •    "Todos temos manias, uns gostam de cavalos, outros de cães, outros querem ouro e alguns outros honrarias. Quanto à mim, nenhuma dessas coisas me atrai, mas tenho paixão por amigos." Sócrates


  •   Quando foi a última vez que você reclamou? Tenho certeza que faz bem menos tempo do que você lembra. Ao longo de 21 dias me policiei como poucas vezes precisei fazer em minha vida. Não é exagero. Ficar sem reclamar por tanto tempo exige...   (continua)


  •    Com a chegada da gravação de vídeo às câmeras DSLR, muitos dos fotógrafos de casamento já não só se encarregam muitas vezes de imortalizar estes eventos com fotografias, senão que já realizam também o vídeo do mesmo, e...   (continua)


  •    Um estudo publicado na revista científica "Family Psychology" demonstra que é melhor estar só do que com a pessoa "errada", já que as relações costumam estar fortemente relacionadas a saúde tanto física como mental.   (continua)


Copyright 2011-2022
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília