Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Não é relativo?! E agora Einstein?

Enviado por Gilberto Godoy
nao-e-relativo---e-agora-einstein-


     Resultados da experiência OPERA, no CERN surpreendem cientistas ao indicarem que neutrinos podem viajar mais rápido que a luz. Resultados que podem pôr em causa Teoria da Relatividade de Einstein.

     Caso o evento seja confirmado por outros cientistas, a física terá, praticamente, de ser reinventada.

     Os novos resultados surgem da experiência OPERA, onde os cientistas têm vindo a estudar neutrinos – partículas elementares da matéria – e a partir dos quais verificaram que estas partículas viajaram a uma velocidade superior à velocidade da luz.

     Os investigadores indicam que observaram quase 15 mil eventos de neutrinos que viajaram entre o CERN, em Genebra, e o Laboratório Gran Sasso, em Itália – um percurso de 730 quilómetros de distância.

     Inesperadamente para os cientistas, os resultados revelaram que os neutrinos viajaram a uma velocidade de 300.006 quilómetros/segundo, ou seja, 6 quilómetros/segundo a mais do que a velocidade da luz.

     Um resultado que constitui agora um problema para os cientistas, já que pode por em causa a Teoria da Relatividade de Albert Einstein. Recorde-se que Einstein defendia o princípio de que nenhuma partícula é mais rápida do que a luz. Um princípio que é agora contradito pelos novos resultados da experiência OPERA, do CERN.

     "Este resultado surge como uma completa surpresa", afirma Antonio Ereditato da Universidade de Berna e porta-voz da experiência OPERA, citado em comunicado do CERN e acrescenta que «o potencial impacto na ciência é demasiado grande para tirar conclusões imediatas ou tentar fazer interpretações físicas».

     O especialista explica que «após muitos meses de estudos e cruzamento de dados não encontrámos nenhum efeito instrumental que possa explicar o resultado das medições. Enquanto os investigadores da OPERA vão continuar os seus estudos, nós também continuamos a procurar medições independentes para avaliar a natureza desta observação».

     Os cientistas colocaram agora os resultados à disposição da grande comunidade de físicos de partículas mundial, na expectativa de encontrar uma explicação para o fenómeno.

     "Quando uma experiência descobre um resultado aparentemente inacreditável e não se encontra nenhum artefacto da medição que contribua para isso, o procedimento normal é convidar bons especialistas científicos", refere Sergio Bertolucci, Diretor de Investigação do CERN.

     "Se estas medições se confirmarem, pode alterar a nossa visão da física, mas temos de ter certeza que não existe qualquer outra explicação, mais mundana" e "isso exige medições independentes", acrescenta.

     Antes dos resultados serem anunciados, os investigadores realizaram uma série de medições de alta precisão e indicam que a distância entre a origem do neutrino e a OPERA foi medida com uma incerteza de 20 centímetros ao longo de 730 quilómetros de caminho e o tempo de voo dos neutrinos foi determinado com uma precisão de menos de 10 nanosegundos, ao utilizarem instrumentos sofisticados incluindo os sistemas GPS e relógios atómicos.

     Dario Autiero, investigador do Centro Nacional de Investigação Científica francês e um dos investigadores da experiência OPERA explica que "apesar das nossas medições terem uma incerteza sistemática baixa e grande precisão estatística, colocamos uma grande confiança nos nossos resultados», mas «estamos a tentar compará-los com os de outras experiências".

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •    Você tem medo de viajar de avião? Esta notícia pode ser positiva mas você deverá esperar algum tempo. O engenheiro ucraniano Tatarenko Vladimir apresentou o projeto de um avião que se separa em duas partes em caso de acidentes. De acordo com o inventor, o projeto poderia salvar centenas de vidas.   (continua)


  •    "Olá, meu nome é Stephen Hawking. Sou físico, cosmologista e às vezes sou um sonhador. Ainda que não consiga me mover e tenha que falar mediante um computador, dentro de minha mente sou livre..." Com esta frase começa o fantástico documentário onde Stephen Hawking nos revela...   (continua)


  •    Fim do ano é uma época em que muito amor, caridade, e sentimentos bons são evocados – especialmente nas famílias mais religiosas, que gostam de lembrar o motivo pelo qual nós celebramos o Natal, o nascimento de Jesus. É uma época em que temos que ser agradecidos pelo que temos.   (continua)


  •    O fim da existência é inerente à natureza, pois tudo o que existe tem um começo e um fim. É exatamente por isso que “profetas” ao longo da História têm se aproveitado dessa lógica para datar (o último estava programado para ontem) o dia do Apocalipse. Mas a Ciência só pode dar...   (continua)


  •    A Teoria das cordas (ou teoria das supercordas) é um modelo físico cujos blocos fundamentais são objetos extensos unidimensionais, semelhantes a uma corda, e não por pontos sem dimensão (partículas) que eram a base da física tradicional. Por essa razão, as teorias baseadas na...   (continua)


  •    A física moderna apóia-se em dois pilares: a teoria da relatividade geral, que explica o universo em grande escala (planetas, estrelas, galáxias), e a Mecânica quântica, que descreve-o em escala microscópica (partículas, átomos, moléculas). A primeira deve-se a Albert...   (continua)


  • "... Que milagre é o homem?
    Que sonho, que sombra?
    Mas existe o homem?"
    ...
    C.D. Andrade


  •    A bordo de um avião da United Airlines para Nova York, o matemático Welington de Melo pediu um copo de vinho. Seu companheiro de viagem, Artur Avila, pediu outro. A aeromoça desconfiou: “Que idade você tem?” Artur tinha 19 anos, com jeito de menos, e ficou sem o vinho. Era...   (continua)


Copyright 2011-2021
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília