Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Ponto de Mutação

Enviado por Gilberto Godoy
ponto-de-mutacao

     Baseado no livro O Ponto de Mutação, do físico austríaco Fritjof Capra, o filme deixa tantos caminhos para discussão, ao seu término, que escolher sobre que aspecto tratar acaba se tornando uma tarefa difícil. Porém, o lado científico de Ponto de Mutação é uma das coisas mais belas já mostradas em trabalhos do gênero e de maneira alguma deve ser descartada por aqueles que, por ventura, decidirem se aventurar na filosofia, psicologia e ciências em geral.

     O filme aborda um dialogo de três pessoas que embora tenham estilos de vida e pensamentos diferentes, são abertas a novas idéias. O dialogo dos personagens acontece em um castelo medieval na França.

     Essas pessoas são americanas e fazem partes de núcleos sociais diferentes. O primeiro ator é um senador e ex candidato a presidência da republica (político). Ele se sente desmotivado com a política, argumentado não ter discurso próprio, tendo que repetir os discursos que seus acessores escrevem ou dizer o que as pessoas querem ouvir. O segundo ator é um professor de literatura e escritor (poeta) que se sente na crise de meia idade. Ele veio para a França para fugir da competitividade das grandes cidades. A terceira é uma cientista especialista em Física que vive uma crise existencial ao ver a intenção do uso militar em sua pesquisa.

     O político frustrado com a visão de política dos EUA, liga para o amigo (poeta) que mora na França e seu amigo acaba oferecendo uma estadia para ele, a fim de fazê-lo esquecer um pouco da sua rotina. Ao chegar à França os dois amigos vão visitar um castelo medieval. Lá eles encontram a cientista em uma sala onde se encontra um imenso relógio antigo, que se torna o ponto inicial de toda discussão.

     A cientista é convidada a entrar na conversa que o poeta e o político estão tendo sobre o relógio. Logo que ela entra na conversa ela faz uma dura critica sobre a maneira cartesiana em que os políticos de modo geral vêem a natureza. Ela afirma que os políticos descrevem a natureza assim como Descartes descrevia, como um relógio onde é possível reduzir ao monte de peças onde analisado cada parte é possível entender o todo. Ela crítica dizendo que essa idéia é antiga e ultrapassada e que devemos mudar essa visão de mundo. O mundo tem que ser visto como um todo através das relações existentes entre cada objeto que compõem a natureza e que fazemos parte dessas relações. A cientista afirma que se devem abrir os horizontes para modelos sistêmicos, escapando do conforto dos processos, onde temos o controle, mas muitas vezes não a compreensão.

     Não se pode olhar separado os problemas globais tentando entendê-los e resolve-los separadamente. Devem-se entender as conexões para depois resolver os problemas. Com isso se consegue pensar em um mundo com crescimento sustentável com melhores condições para todos.O político discute e até aceita algumas idéias da cientista, mas a grande questão que ele aponta é: como concretizar essas idéias na política, como fazer com que as pessoas (os eleitores) consigam entender. A resposta da cientista é simples: Mudando nossa maneira de ver o mundo.Nessa resposta se consegue percebe a transversalidade da educação ambiental e a importância de ser discutido em redes de ensino interdisciplinarmente, sendo trabalhada como uma grande teia ligadas a diferentes disciplinas, a fim de analisar um fenômeno.

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •    Uma das cenas mais lindas do cinema.

    “Em ti o meu olhar fez-se alvorada
    a minha voz fez-se gorgeio de ninho.
    E a minha rubra boca apaixonada
    Teve a frescura pálida do linho...
    (continua)


  •    Claro que toda lista de 'melhores' depende do gosto de quem julga. Porém, a “Sight & Sound Magazine”, revista de cinema do British Film Institute, promoveu uma enquete com 358 diretores de 73 países para escolher os maiores filmes de todos os tempos. A enquete também ouviu, leitores, produtores, especialistas e críticos. Neste post, apresentamos...  (continua)


  •    A investigação da identidade brasiliense, ainda sem desfecho, atiça uma geração que continua a procurar respostas para uma antiga questão: qual é a imagem do cinema brasiliense? Crises e a irmanada dobradinha política e poder, além do próprio fazer cinematográfico, reinam como temas de uma cidade que define, via verbas estatais, a linhagem dos projetos de cinema.   (continua)


  •      Num mundo pós-Apocalipse, em que a Terra se tornou um deserto e o que sobrou da humanidade se reúne em gangues, Denzel Washington e Gary Oldman brigam pelo bem mais precioso de todos: a Bíblia. Com: Denzel Washington, Mila Kunis, Michael Gambon e Gary Oldman e direção de Albert Hughes e Allen Hughes, de 'Do Inferno'. O trecho final do filme é excelente. Recomendo!


  •    Neste vídeo são comentados pelo professor Gilberto Godoy sete filmes que tem a Itália como pano de fundo. Eles foram escolhidos sem critérios técnicos, apenas pelo encantamento que eles produzem e pela beleza da fotografia e leveza da história.

       Link:  https://www.youtube.com/watch?v=DHnUAHCLJk4


  •      O Curta 'The Power of Nature' é um desses vídeos de impressionar. O som deve estar alto. O curta mostra imagens e fenômenos naturais por todo mundo, mostrando que quando "quer", a natureza dá o seu recado aos humanos, mostrando-nos que somos "nada" diante da sua assustadora "fúria". A também ótima trilha é Planet Boom do Tune of Soul.


  •    Uma lista de filmes especiais que tem como pano de fundo a beleza da Itália e seus encantos. Há tempos que queria organizar esta lista. Taí.
       1. De Encontro com o Amor (Brad Mirman, 2005)
    A história se passa na Toscana rural, numa vila muito linda. Jeremy Taylor (Joshua Jackson) é um jovem escritor que está à procura de seu ídolo, Weldon Parish (Harvey Keitel). Parish vive atualmente recluso, decisão que tomou após passar por...   (continua)


  •    Lista de quarenta filmes com temas relacionados com História, para quem gosta do gênero.
      Nós que aqui estamos por vós esperamos (1999) – Direção: Marcello Masagão. Um documentário sensacional. Com recortes biográficos reais para representar o século XX e toda sua efervescência. Sem seguir a típica e didática linha cronológica dos documentários tradicionais, este, além de...   (continua)
    * Veja sobre Psicólogo Brasília na Clínica Brasília de Psicologia ou AQUI.


Copyright 2011-2022
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília