Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

'Tarja branca' e a necessidade de brincar para existir

Enviado por Gilberto Godoy
-tarja-branca--e-a-necessidade-de-brincar-para-existir

     Uma das músicas mais conhecidas do grupo Palavra Cantada, entoa que “Criança não trabalha, criança dá trabalho”. Diversos estudos (e a mais importante de todas, a observação do comportamento dos pequenos) comprovam a importância das brincadeiras para o desenvolvimento infantil, tanto intelectual quanto interpessoal. E na corda bamba que é essa transição entre a infância e a vida adulta e sua corrida por sucesso na carreira e vida pessoal, vamos nos embrutecendo e acinzentando com as durezas do cotidiano.

   A tecnologia nos consome e distancia de nossa natureza que exige o contato humano, natural e necessário, como explana uma das pesquisadoras entrevistadas para compor o documentário “Tarja Branca”, “a gente nasceu pra ser gente”. Isso mesmo. Porque brincar é existir. É sentir-se vivo. Lançado em junho de 2014 nos cinemas e com a mesma equipe que produziu o pontual “Muito Além do Peso”, o documentário investiga e instiga a importância da brincadeira, tanto para o uso lúdico na vida, quanto no âmbito social e de enfrentamento de crises e questionamentos humanos, todos esses processos que nos fazem crescer.

   A fala de profissionais especializados na infância é costurada com as memórias e experiências de pessoas como Marcelino Freire, escritor pernambucano, que para escrever, também precisa manter acesa a liberdade de imaginar, descontruir e inventar histórias e personagens.

   Para a coreógrafa Andrea Jabor, “brincar é urgente”, e cada vez mais necessário numa sociedade rodeada por tecnologia e certa deficiência imaginativa, onde as brincadeiras não precisam ser inventadas, pois já estão disponíveis em lojas. Como resultado das convenções sociais, certamente a maioria de nós escolheu não dar trabalho. E seguimos um monótono processo onde o tempo encurtou e as exigências da máquina do trabalho aumentaram, diminuindo nosso espaço e pensar lúdico. Perdemos nossos trava-línguas, ganhamos o receio de pintar objetos com cores diferentes das conhecidas e, principalmente, deixamos para trás nossa liberdade de existir dentro da nossa imaginação.

   Afinal, a brincadeira não precisa estar ligada ao ambiente infantil, mas pode compartilhar de suas vivências, aprendizados e desprendimentos. O quanto se aprende levando a vida de uma maneira um pouco menos ansiosa ou com pequenos exercícios para não levar tudo tão a sério? Brincar é o remédio que falta para que nossas gavetas e caixas de primeiros socorros permaneçam quietas.

   O filme está disponível no youtube, através do canal da produtora Maria Farinha Filmes.

     Fonte: Obvius

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •    Uma lista de filmes especiais que tem como pano de fundo a beleza da Itália e seus encantos. Há tempos que queria organizar esta lista. Taí.
       1. De Encontro com o Amor (Brad Mirman, 2005)
    A história se passa na Toscana rural, numa vila muito linda. Jeremy Taylor (Joshua Jackson) é um jovem escritor que está à procura de seu ídolo, Weldon Parish (Harvey Keitel). Parish vive atualmente recluso, decisão que tomou após passar por...   (continua)


  •    Lista de quarenta filmes com temas relacionados com História, para quem gosta do gênero.
      Nós que aqui estamos por vós esperamos (1999) – Direção: Marcello Masagão. Um documentário sensacional. Com recortes biográficos reais para representar o século XX e toda sua efervescência. Sem seguir a típica e didática linha cronológica dos documentários tradicionais, este, além de...   (continua)
    * Veja sobre Psicólogo Brasília na Clínica Brasília de Psicologia ou AQUI.


  •    Uma lista de 20 grandes filmes existenciais, belíssimos, delicados, intensos, profundos e reflexivos. Pensar no valor da vida, na escala social que diferencia pela posição de classe, no sentido de nos adpatarmos a um mundo neurótico e alienante... Quem é cada um em seu mundo particular, na beleza de sua singularidade, surpreendente em...   (continua)


  •    O vídeo de Todd Sandler homenageia Steven Spielberg -no recebimento do prêmio David O. Selznick- recopilando cenas da cada uma dos filmes nos quais Spielberg participou como produtor, produtor executivo e/ou diretor. Não me considero particularmente fã de Spielberg, mas após ver o vídeo reconheço nele um monte de filmes que venho desfrutando com prazer ao longo de toda a vida. Fonte:  AllThingsD.

     


  • “Qual é afinal este laço que nos une,
    Essa coisa indefinível
    Para onde vão esses destinos que se atam
    Para nos tornar inseparáveis
    A vida é uma dança
    Que todos precisamos executar
    O que a música exige?
    (continua)


  •    Rafael Belvedere (Ricardo Darín) está em crise, pois assumiu muitas responsabilidades e não tem mais tempo para qualquer tipo de diversão. Boa parte de seu tempo é gasto no gerenciamento do restaurante fundado por seu pai, no qual até tem um relativo sucesso, mas sem nunca conseguir escapar da sombra de seu pai.   (continua)


  •    O uso de filmes ficcionais e documentários em sala de aula pode ser uma ótima ferramenta pedagógica para apoiar o aprendizado dos estudantes. Por meio de uma linguagem audiovisual, muitas vezes mais atrativa às crianças e adolescentes, os filmes permitem novas abordagens e olhares sobre os conteúdos curriculares.   (continua)


  •      O Cinema Archipiélago é uma balsa/auditório projetada para flutuar no mar, permitindo o lançamento do Festival Film on the rocks Yao Noi, na Tailândia, organizado por Apichat-Pong Weerasethakul e Tilda Swinton. A balsa é projeto do arquiteto alemão Ole Scheeren. O festival é ralizado em março, convertendo-se em um lugar de encontro para a arte e o cinema.  (continua)


Copyright 2011-2020
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília