Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Alma perdida - Florbela Espanca

Enviado por Gilberto Godoy

   Alma de rouxinol, alma da gente… Florbela Espanca e sua poesia profunda: Alma perdida [Livro de Mágoas, 1919].  A narração é de Miguel Falabella.

"Toda esta noite o rouxinol chorou,
Gemeu, rezou, gritou perdidamente!
Alma de rouxinol, alma da gente,
Tu és, talvez, alguém que se finou!

Tu és, talvez, um sonho que passou,
Que se fundiu na Dor, suavemente...
Talvez sejas a alma, a alma doente
Dalguém que quis amar e nunca amou!

Toda a noite choraste... e eu chorei
Talvez porque, ao ouvir-te, adivinhei
Que ninguém é mais triste do que nós!

Contaste tanta coisa à noite calma,
Que eu pensei que tu eras a minh'alma
Que chorasse perdida em tua voz!..."

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  • "O tempo presente e o tempo passado
    Estão ambos talvez presentes no tempo futuro
    E o tempo futuro contido no tempo passado
    Se todo o tempo é eternamente presente
    Todo o tempo é irredimível
    O que podia ter sido é uma abstração
    Permanecendo possibilidade perpétua
    Apenas num mundo de especulação..."
    (continua)


  • “Como imperfeito ator que em meio à cena
    O seu papel na indecisão recita,
    Ou como o ser violento em fúria plena
    A que o excesso de forças debilita;
    Também eu, sem confiança em mim, me esqueço
    No amor de os ritos próprios recitar...
    (continua)


  • "Se alguém bater um dia à tua porta,
    Dizendo que é um emissário meu,
    Não acredites, nem que seja eu;
    Que o meu vaidoso orgulho não comporta
    Bater sequer à porta irreal do céu... (continua)


  • "O que esperamos na ágora reunidos?
    É que os bárbaros chegam hoje.
    Por que tanta apatia no senado?
    Os senadores não legislam mais?
    É que os bárbaros chegam hoje...
    (continua)


  •    "Eu te peço perdão por te amar de repente
       Embora o meu amor seja uma velha canção nos teus ouvidos
       Das horas que passei à sombra dos teus gestos
       Bebendo em tua boca o perfume dos sorrisos...
       (continua)


  •     "Meu Senhor, tende piedade dos que andam de bonde
         E sonham no longo percurso com automóveis, apartamentos…
         Mas tende piedade também dos que andam de automóvel
         Quantos enfrentam a cidade movediça de sonâmbulos, na direção.
    ​     (continua)


  • "Desde os tempos distantes de criança
    Numa força sem par do pensamento,
    Tem sentido infinito e resultante
    Do que sempre será meu sentimento;
    Todo teu, todo amor e encantamento,
    Vertente, resplendor e firmamento...
    (continua)


  • "Porque entre o sim e o não é só um sopro,
    entre o bom e o mau apenas um pensamento,
    entre a vida e a morte só um leve sacudir de panos -
    e a poeira do tempo, com todo o tempo que eu perdi,
    tudo recobre, tudo apaga, tudo torna simples
    e tão indiferente."


  • "Senhora das tempestades e dos mistérios originais
    quando tu chegas a terra treme do lado esquerdo
    trazes o terremoto a assombração as conjunções fatais
    e as vozes negras da noite Senhora do meu espanto...
    (continua)

     


  • "No meio do caminho desta vida
    me vi perdido numa selva escura,
    solitário, sem sol e sem saída.
    Ah, como armar no ar uma figura
    desta selva selvagem, dura, forte,
    que, só de eu a pensar, me desfigura?
    (continua)


  • "Eu cantarei amor tão fortemente
    Com tal celeuma e com tamanhos brados
    Que afinal teus ouvidos, dominados,
    Hão de à força escutar quanto eu sustente...
    (continua)


  • 'O luar é a luz do sol que está sonhando.'
    'O tempo não pára! A saudade é que faz as coisas pararem no tempo…'
    'Livros não mudam o mundo, quem muda o mundo são as pessoas.'
    'A alma é essa coisa que nos pergunta se a alma existe.'
    ​(continua)


Copyright 2011-2019
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília