Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Jack MacDonald, o homem que se fingia de pobre

Enviado por Gilberto Godoy
jack-macdonald--o-homem-que-se-fingia-de-pobre

     Jack MacDonald passou boa parte de seus 98 anos procurando maneiras de gastar menos e reaproveitar tudo o que já tinha. 

     Não perdia uma promoção no supermercado, usava roupas com buracos e recortava cupons de revistas, centenas deles, para fazer compras. Nunca pegava um taxi se podia pegar um ônibus, mesmo que estivesse lotado. 

     E, quando caiu e foi levado para o hospital, disse à sua enteada que avisasse aos médicos para usarem medicamentos genéricos "e não aqueles remédios de marca que custam uma fortuna".

     Não é de se estranhar que, após a sua morte, toda uma vizinhança de Seattle tenha se surpreendido um bocado ao saber que aquele pobre senhor era, na verdade, dono de uma fortuna de US$ 187 milhões (cerca de R$ 430 milhões). 

     "Jack fazia de tudo para parecer pobre. Em parte, porque ele não queria ser importunado por pessoas lhe pedindo dinheiro", disse a enteada, Regen Dennis. Ela, inclusive, não ficou com um centavo da herança deixada por seu padrasto. Todo o dinheiro foi doado para três instituições: o Hospital Infantil de Seattle, a Escola de Direito da Universidade de Washington e o Exércio da Salvação.

     MacDonald fez fortuna a partir da herança que recebeu quando seus pais morreram. Investindo no mercado de ações, ele conseguiu aumentar aos poucos seu patrimônio e, como gastava o mínimo possível, o dinheiro foi acumulando.

     Nascido em 1921, ele só casou aos 50 anos com a mãe de Regen, que já tinha dois filhos crescidos na época. Segundo a enteada, a família nunca morou em uma casa glamourosa, nem teve carros de luxo. A única regalia que se davam eram viagens. O casal MacDonald conheceu a Europa, Australia, Canadá e a África, até a morte da esposa, em 1999.

     MacDonald escreveu seu testamento há três anos, quando teve um problema de saúde. Segundo Regen, ele disse que gostaria de ser lembrando como um filantropista. "Ele se sentia muito bem a respeito do que estava fazendo com seu dinheiro e nossa família se sentiu muito bem sobre isso também".

     Fonte: Época Negócios
 

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •        Olívia Florência da Uol/Folha.com
          O desenvolvedor de software Fabrício Buzeto, 27, conseguiu encontrar um método de gerenciamento de tempo para chamar de seu. Bastou descobrir uma técnica que fracionou seu dia de trabalho em vários períodos de concentração total.   (continua)


  •    Tem gente que parece mesmo disposto a queimar dinheiro em questões amorosas, senão como explicar que um sujeito possa contratar um especialista nas artes da sedução para diretamente flertar e seduzir a própria mulher, a fim de provar a sua traição? Não lhe parece que literalmente está procurando chifre em cabeça de jumento? Pois é, tem gente que gasta dinheiro com isso.   (continua)


  •    Manter uma relação a distância é difícil, ainda que graças as novas tecnologias possamos nos sentir bem perto da pessoa amada. E-mails, webcams, celulares... o contato intelectual pode ser constante e muito reconfortante. Mas e a necessidade de contato físico? Em uma universidade fizeram um teste com um macaquinho órfão. Colocaram dois robôs que...   (continua)


  •      Pegadinhas, às vezes, são engraçadas e até interessantes. Tirando o fato de que a grande maioria delas são 'armadas' com todos os envolvidos, acontece que algumas colocam em risco a vida de pessoas que não tem o menor interesse em lidar com a situação. A reação a uma brincadeira como essa pode ser a mais inesperada como a que vemos neste post. (continua)


  •    Certa tarde, um famoso banqueiro ia para casa em sua "limusine" quando viu dois homens à beira da estrada, comendo grama. Ordenou ao seu motorista que parasse e, saindo, perguntou a um deles: " - Por quê vocês estão comendo grama...? - Não temos dinheiro para comida.., disse o pobre homem, Por isso temos que comer grama. - Bem, então venham à minha casa e eu lhes darei de comer - disse o banqueiro.   (continua)


  •    A maior de todas as técnicas é o amor! Mas se algumas técnicas que se forem bem aprendidas e utilizadas poderão produzir grandes contingências. As vossas companheiras poderão ir às nuvens, ver estrelas e flutuar por horas. O amor merece. Confira!   (continua)


  •    Damien Preston-Booth é, provavelmente, o mais inteligente e engenhoso mendigo do mundo. Toda semana, o homem de 37 anos, de Preston, em Lancashire, viaja até Mayfair, em Londres, para mendigar doações de turistas ricos, via cartão de débito ou crédito. Ele, na verdade, leva um leitor de cartões para se certificar de que...   (continua)


  •   Querido Deus:
    " - Obrigado pelo meu irmãozinho, mas eu orei por um cachorrinho."  Joyce
      Querido Deus:
    " - Você queria mesmo que a girafa se parecesse assim ou foi um acidente?"  Norma
    ​(continua)


Copyright 2011-2019
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília