Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Monólogo de Orfeu - Vinícius de Moraes

Enviado por Gilberto Godoy

     Orfeu da Conceição - Peça teatral escrita por Vinicius de Moraes em 1954, baseada no drama da mitologia grega de Orfeu e Eurídice. A trilha sonora da peça foi lançada em vinil no ano de 1956, pela Odeon, com música escrita por Antônio Carlos Jobim e letra de Vinicius.

     Voz de Maria Bethânia.

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  • “Deu-me Deus o Seu Gládio, porque eu faça
            A Sua santa guerra.
    Sagrou-me Seu em génio e em desgraça
    As horas em que um frio vento passa...
    (continua)


  • “Se te comparo a um dia de verão
    És por certo mais belo e mais ameno
    O vento espalha as folhas pelo chão
    E o tempo do verão é bem pequeno.
    (continua)


  • “Do fundo desta noite que me envolve,
    negra como um poço fundo e escuro,
    Agradeço aos deuses
    pela minha alma indomável....
    ​(continua)


  • "Um homem demora muito tempo a fazer-se.
    Não somos como aqueles passaritos que se soltam na imensidão dos céus
    Pouco tempo depois de terem visto a luz.
    Trazemos em nós uma semente que demora a germinar,
    Que gasta nessa tarefa muitos anos de agitação e silêncio.
    (continua)


  • "Nem mesmo a assustadora simetria
    De quando caem os sonhos,
    Um a um assim cadenciados.
    Nem mesmo a metafísica
    Incompreensível e inaceitável
    (continua)


  • "Vem por aqui" — dizem-me alguns com os olhos doces
    Estendendo-me os braços, e seguros
    De que seria bom que eu os ouvisse
    Quando me dizem: "vem por aqui!"
    (continua)


  •       Esta poesia de Neruda é parte da fala de um personagem no filme 'O ponto de mutação', um belo filme!

    "O que uma lagosta tece lá embaixo com seus pés dourados?
    Respondo que o oceano sabe.
    Por quem a medusa espera em sua veste transparente?
    Está esperando pelo tempo, como tu.
    (continua)


  • "Não vás tão docilmente nessa noite linda;
    Que a velhice arda e brade ao término do dia;
    Clama, clama contra o apagar da luz que finda.
    Embora o sábio entenda que a treva é bem-vinda
    (continua)


  • "A gente precisa de pouca coisa
    pra viver feliz e sossegado.
    Um barco a vela um fogão de lenha
    e uma cama limpa pra deitar
    quando se está cansado.
    Muita gente nesse mundo
    preferia estar despreocupado...
    (continua)


  • "O tempo presente e o tempo passado
    Estão ambos talvez presentes no tempo futuro
    E o tempo futuro contido no tempo passado
    Se todo o tempo é eternamente presente
    Todo o tempo é irredimível
    O que podia ter sido é uma abstração
    Permanecendo possibilidade perpétua
    Apenas num mundo de especulação..."
    (continua)


  • “Como imperfeito ator que em meio à cena
    O seu papel na indecisão recita,
    Ou como o ser violento em fúria plena
    A que o excesso de forças debilita;
    Também eu, sem confiança em mim, me esqueço
    No amor de os ritos próprios recitar...
    (continua)


  • "Se alguém bater um dia à tua porta,
    Dizendo que é um emissário meu,
    Não acredites, nem que seja eu;
    Que o meu vaidoso orgulho não comporta
    Bater sequer à porta irreal do céu... (continua)


Copyright 2011-2018
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília