Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Não é relativo?! E agora Einstein?

Enviado por Gilberto Godoy
nao-e-relativo---e-agora-einstein-


     Resultados da experiência OPERA, no CERN surpreendem cientistas ao indicarem que neutrinos podem viajar mais rápido que a luz. Resultados que podem pôr em causa Teoria da Relatividade de Einstein.

     Caso o evento seja confirmado por outros cientistas, a física terá, praticamente, de ser reinventada.

     Os novos resultados surgem da experiência OPERA, onde os cientistas têm vindo a estudar neutrinos – partículas elementares da matéria – e a partir dos quais verificaram que estas partículas viajaram a uma velocidade superior à velocidade da luz.

     Os investigadores indicam que observaram quase 15 mil eventos de neutrinos que viajaram entre o CERN, em Genebra, e o Laboratório Gran Sasso, em Itália – um percurso de 730 quilómetros de distância.

     Inesperadamente para os cientistas, os resultados revelaram que os neutrinos viajaram a uma velocidade de 300.006 quilómetros/segundo, ou seja, 6 quilómetros/segundo a mais do que a velocidade da luz.

     Um resultado que constitui agora um problema para os cientistas, já que pode por em causa a Teoria da Relatividade de Albert Einstein. Recorde-se que Einstein defendia o princípio de que nenhuma partícula é mais rápida do que a luz. Um princípio que é agora contradito pelos novos resultados da experiência OPERA, do CERN.

     "Este resultado surge como uma completa surpresa", afirma Antonio Ereditato da Universidade de Berna e porta-voz da experiência OPERA, citado em comunicado do CERN e acrescenta que «o potencial impacto na ciência é demasiado grande para tirar conclusões imediatas ou tentar fazer interpretações físicas».

     O especialista explica que «após muitos meses de estudos e cruzamento de dados não encontrámos nenhum efeito instrumental que possa explicar o resultado das medições. Enquanto os investigadores da OPERA vão continuar os seus estudos, nós também continuamos a procurar medições independentes para avaliar a natureza desta observação».

     Os cientistas colocaram agora os resultados à disposição da grande comunidade de físicos de partículas mundial, na expectativa de encontrar uma explicação para o fenómeno.

     "Quando uma experiência descobre um resultado aparentemente inacreditável e não se encontra nenhum artefacto da medição que contribua para isso, o procedimento normal é convidar bons especialistas científicos", refere Sergio Bertolucci, Diretor de Investigação do CERN.

     "Se estas medições se confirmarem, pode alterar a nossa visão da física, mas temos de ter certeza que não existe qualquer outra explicação, mais mundana" e "isso exige medições independentes", acrescenta.

     Antes dos resultados serem anunciados, os investigadores realizaram uma série de medições de alta precisão e indicam que a distância entre a origem do neutrino e a OPERA foi medida com uma incerteza de 20 centímetros ao longo de 730 quilómetros de caminho e o tempo de voo dos neutrinos foi determinado com uma precisão de menos de 10 nanosegundos, ao utilizarem instrumentos sofisticados incluindo os sistemas GPS e relógios atómicos.

     Dario Autiero, investigador do Centro Nacional de Investigação Científica francês e um dos investigadores da experiência OPERA explica que "apesar das nossas medições terem uma incerteza sistemática baixa e grande precisão estatística, colocamos uma grande confiança nos nossos resultados», mas «estamos a tentar compará-los com os de outras experiências".

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •    O fim da existência é inerente à natureza, pois tudo o que existe tem um começo e um fim. É exatamente por isso que “profetas” ao longo da História têm se aproveitado dessa lógica para datar (o último estava programado para ontem) o dia do Apocalipse. Mas a Ciência só pode dar...   (continua)


  •    A Teoria das cordas (ou teoria das supercordas) é um modelo físico cujos blocos fundamentais são objetos extensos unidimensionais, semelhantes a uma corda, e não por pontos sem dimensão (partículas) que eram a base da física tradicional. Por essa razão, as teorias baseadas na...   (continua)


  •    A física moderna apóia-se em dois pilares: a teoria da relatividade geral, que explica o universo em grande escala (planetas, estrelas, galáxias), e a Mecânica quântica, que descreve-o em escala microscópica (partículas, átomos, moléculas). A primeira deve-se a Albert...   (continua)


  • "... Que milagre é o homem?
    Que sonho, que sombra?
    Mas existe o homem?"
    ...
    C.D. Andrade


  •    A bordo de um avião da United Airlines para Nova York, o matemático Welington de Melo pediu um copo de vinho. Seu companheiro de viagem, Artur Avila, pediu outro. A aeromoça desconfiou: “Que idade você tem?” Artur tinha 19 anos, com jeito de menos, e ficou sem o vinho. Era...   (continua)


  •    Em busca de nossas origens cósmicas. Sensacional! O filme leva você a uma viagem para a 5000 metros de altura Planalto Chajnantor, onde ALMA está, no ambiente único do Deserto de Atacama do Chile.   (continua)


  •    Ivan Oliveira - Folha de S.Paulo / Tendências/Debates: Ciência, tecnologia, inovação.
       A relação entre ciência, tecnologia e inovação segue uma ordem de causa e efeito que não pode ser invertida. Não se retira uma vaca de um copo de leite. É um grave equívoco pensar que...   (continua)


  •    Uma série de experimentos em temperaturas ultra frias demonstraram um fenômeno conhecido como "perda de nêutrons", no qual por alguma razão estas partículas subatômicas desaparecem por curtos períodos. Ainda que considerem diversas possíveis explicações...   (continua)


Copyright 2011-2019
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília