Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Não faça inimigos no trabalho - Max Gheringer

Enviado por Gilberto Godoy
nao-faca-inimigos-no-trabalho---max-gheringer

     Nas relações humanas no trabalho, existem apenas 3 regras:

     Regra número 1: colegas passam (e chefes também), mas inimigos são para sempre. A chance de uma pessoa se lembrar de um favor que você fez a ela vai diminuindo à taxa de 20% ao ano. Cinco anos depois, o favor será esquecido. Não adianta mais cobrar. Mas a chance de alguém se lembrar de uma desfeita se mantém estável, não importa quanto tempo passe.

     Exemplo: se você estendeu a mão para cumprimentar alguém em 1997 e a pessoa ignorou sua mão estendida, você ainda se lembra disso em 2007.

     Regra número 2: A importância de um favor diminui com o tempo, enquanto a  importância de uma desfeita aumenta. Favor é como um investimento de curto  prazo. Desfeita é como um empréstimo de longo prazo. Um dia, ele será cobrado, e com juros.

     Regra número 3: Um colega não é um amigo. Colega é aquela pessoa que, durante algum tempo, parece um amigo. Muitas vezes, até parece o melhor amigo, mas isso só dura até um dos dois mudar de cargo ou de emprego.

     Amigo é aquela pessoa que liga para perguntar como você está e sempre reclama porque sumiu. Ex-colega que parecia amigo é aquela pessoa que você liga para pedir alguma coisa, e ela manda dizer que no momento não pode atender.

     Durante sua carreira, uma pessoa normal terá a impressão de que fez um milhão de amigos, na verdade teve colegas e apenas meia dúzia de inimigos.
Estatisticamente, isso parece ótimo. Mas não é. A Lei da Perversidade Profissional diz que, no futuro, quando você precisar de ajuda, é possível que quem mais poderá ajudá-lo é exatamente um daqueles poucos amigos.

     Portanto, profissionalmente falando, e pensando a longo prazo, o sucesso consiste, principalmente, em evitar fazer inimigos. Porque, por uma infeliz coincidência biológica, os poucos inimigos são exatamente aqueles que tem boa memória, e segundo ditado popular (bem popular mesmo ):

     "Os amigos vem e vão, os inimigos se acumulam...."

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •    Segundo um grupo de pesquisadores, sim e os números podem predizer o tempo que uma relação vai durar. Estes matemáticos dizem ter chegado também a fórmula do amor eterno. O cálculo tem a ver com a compatibilidade e com as expectativas de um futuro juntos, além de ter em conta alguns dados do passado.   (continua)


  •      A história de Jack Potter e sua esposa, Phyllis, é comovente. Casado há 70 anos com ela, Jack luta para o amor entre os dois não se acabar. Sabendo que Phyllis sofre de demência e falta de memória, o homem a visita todos os dias na casa de repouso na cidade de Rochester, Inglaterra, e lê para ela o diário que guarda desde o dia em que se conheceram.   (continua)


  •    O memorável Carlos Drummond de Andrade, um de nossos poetas mais conhecidos, certa vez escreveu que "existem muitas razões para não se amar uma pessoa, mas apenas uma para amá-la". No sentindo mais poético e eloquente da questão, é muito provável que a afirmação dele esteja correta! Entretanto, estamos longe de saber amar somente com...   (continua)


  •    Ruth de Aquino, ÉPOCA
     Pode parecer incrível para muitos de nós, que vivemos em harmonia negociada com o outro sexo. Mas, no século XXI, ainda existe ódio sexista, latente ou escancarado. O que aconteceu na semana passada com a publicitária paulistana Renata Gervatauskas, de 35 anos, é um triste exemplo disso. Renata escreveu um post para...   (continua)


  •    O que dá sentido a vida? O que nos mantém felizes e saudáveis à medida que a nossa vida decorre? Se pensam que é a fama e o dinheiro, não estão sozinhos — mas, segundo o psiquiatra Robert Waldinger, estão enganados. Enquanto diretor do estudo de 75 anos sobre o...   (continua)


  •    Idosos órfãos de filhos vivos são os novos desvalidos do século XXI. Atenção e carinho estão para a alegria da alma, como o ar que respiramos está para a saúde do corpo. Nestas últimas décadas surgiu uma geração de pais sem filhos presentes, por força de uma cultura de independência e autonomia levada ao extremo, que impacta negativamente no modo de vida de toda a família. Muitos filhos adultos...   (continua)


  •    O casamento é uma defesa eficaz contra o declínio natural de satisfação com a vida, afirmam psicólogos norte-americanos. Apesar das crises e das críticas, o efeito benéfico do matrimônio é superior ao do nascimento de um filho. Muito já se falou sobre a falência do casamento. Não faltam exemplos...   (continua)


  •    De acordo com Moran Cerf, neurocientista da Universidade Northwestern que estuda a tomada de decisões há mais de uma década, a maneira mais segura de maximizar a felicidade não tem nada a ver com experiências, bens materiais ou filosofia pessoal.   (continua)


Copyright 2011-2020
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília