Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

O discurso de renúncia do Papa Bento XVI

Enviado por Gilberto Godoy
o-discurso-de-renuncia-do-papa-bento-xvi

     Queridos Irmãos,

     Convoquei-vos para este Consistório, não apenas para as três canonizações, mas também para vos comunicar uma decisão de grande importância para a vida da Igreja. Depois de ter examinado a minha consciência repetidas vezes, perante Deus, cheguei à certeza de que as minhas forças, devido à idade avançada, já não são apropriadas a um exercício adequado do ministério Petrino.

     Estou bem consciente de que este ministério, devido à sua natureza essencialmente espiritual, deverá ser levado a cabo não apenas com palavras e atos, mas não menos com oração e sofrimento. Contudo, no mundo de hoje, sujeito a tantas mudanças rápidas e abalado por questões de grande relevância para a vida da fé, para governar a barca de São Pedro e proclamar o Evangelho, requer-se força tanto à mente como ao corpo, força essa que se degradou em mim, nos últimos meses, de tal forma que tive de reconhecer a minha incapacidade para exercer de forma adequada o ministério que me foi confiado.

    Por esta razão, e bem consciente da gravidade deste ato, declaro com total liberdade que renunciou ao ministério de Bispo de Roma, Sucessor de São Pedro, que me foi confiado pelos Cardeais a 19 de abril de 2005, de modo que, a partir de 28 de fevereiro de 2013, às 20 horas, a Sé de Roma, a Cátedra de São Pedro, ficará vaga e terá de ser convocado um Conclave para eleger o novo Sumo Pontífice, por aqueles que têm essa competência.

     Queridos Irmãos, agradeço-vos muito sinceramente todo o amor e o trabalho com que me apoiastes no meu ministério e peço perdão por todos os meus defeitos. E agora, confiemos a Santa Igreja ao cuidado do Nosso Supremo Pastor, o Nosso Senhor Jesus Cristo, e imploremos à sua santa Mãe Maria, para que dê assistência aos Pais Cardeais com a sua dedicação maternal, na eleição do novo Supremo Pontífice. No que me diz respeito, também desejo servir devotamente a Santa Igreja de Deus, no futuro, através de uma vida dedicada à oração.

     Do Vaticano, 10 de fevereiro de 2013

     BENEDICTUS PP XVI

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  • "Que eu tenha a força de ser eu mesmo, sempre
    Que eu possa fazer o bem, sem saber o porquê
    Que eu nunca pense que esse alguém irá me retribuir
    Que eu possa ouvir passarinhos cantando
    (continua)

     


  •      Por volta de 79 a.C. viveu Públio Lentulus Sura, um cônsul, um homem de muito poder e impiedoso. Sura foi contemporâneo de Caio Júlio César, Marco Túlio Cícero, além de aliado político do temível Sérgio Lúcius Catilina. A personalidade do cônsul aparece claramente como a de um homem que se acreditava destinado a governar Roma e que o teria feito se tivesse sido vitorioso na famosa rebelião que participou como figura exponencial.   (continua)


  •    A religião em nossos dias pode ser, em alguns casos, entendida como um terrorismo psicológico cujas ideologias se tornaram compatíveis com a agenda capitalista: a satanização do prazer, a culpa da diversão (e seu oposto: a compulsão de gozar desmedidamente através da utopia consumista), e o lazer equiparado com a vadiagem conformam populações obedientes que preferem trabalhar duro para evitar os...   (continua)


  •    Depois do ataque à revista Charlie Hebdo em Paris, muitas pessoas publicaram artigos e comentários pedindo respeito às religiões. Mas o respeito deveria partir delas, primeiro. Mas não é isso que se vê na prática. Elas não se respeitam entre si. E os casos chegam a ser bem mais graves do que uma caricatura num jornal que pouca gente lia.   (continua)


  •      Como o cientista francês Hippolyte Rivail se tornou, aos 53 anos, Allan Kardec, criador da doutrina espírita e fonte de inspiração do médium brasileiro Chico Xavier.   "A pessoa que estudar a fundo as ciências rirá dos ignorantes. Não mais crerá em fantasmas ou almas do outro mundo.” Era assim que o professor Hippolyte Léon Denizard Rivail, membro de nove sociedades científicas e autor de cerca de 20 livros sobre pedagogia na França do século XIX...   (continua)


  •        Philip Pullella - Reuters

          Assis, Itália - O papa Bento 16 reconheceu na quinta-feira, "com grande vergonha", o uso da força pelo cristianismo em sua longa história, mas disse que a violência em nome de Deus não tinha mais lugar no mundo contemporâneo.   (continua)


Copyright 2011-2020
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília