Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Desamparo aprendido

Enviado por Gilberto Godoy
desamparo-aprendido


      O modelo do desamparo aprendido foi proposto por Seligman em 1975. Alunos do curso de psicologia devem dar atenção especial a este experimento pois sua relação com a vida cotidiana pode ser bem identificada.

     Uma coisa que às vezes poupa as pessoas de depressão ou impotência é um sentimento de controle sobre os seus imediatos ou a longo prazo circunstâncias. Ser capaz de andar longe de uma relação abusiva, por exemplo, ou sair voluntariamente um trabalho aversivo. A condição conhecida como desamparo aprendido, no entanto, pode causar uma pessoa a sentir-se completamente impotente para mudar a sua situação para melhor.

     Desamparo aprendido pode ser visto como um mecanismo algumas pessoas empregam para sobreviver difícil ou abusivos circunstâncias. Uma pessoa abusada ou cônjuge podem, eventualmente, aprender a permanecer passiva na contingência aversiva sem conseguir emitir comportamento de fuga/esquiva da situação, por causa do desamparo aprendido.

     A relação entre depressão e desamparo aprendido tem sido bem estabelecido na comunidade psicológica. Alguns especialistas sugerem desamparo aprendido pode ser transmitida através de observação, como no caso de uma filha assistindo passivamente obedeças mãe dela abusou do marido comandos. A filha pode começar a associar passividade e baixa auto-estima com o "normal" exige vida de casada, o que conduz a uma perpetuação do ciclo desamparo aprendido.

     Os resultados do experimento demonstraram que passividade e à perda de auto-estima podem ser resultados diretos do desamparo aprendido. Muitas pessoas que sofrem de depressão clínica podem ser beneficiadas por bons psicólogos que entendem e ajudam a modificar as contingências de vida do indivíduo.

   Saiba mais sobre este tema em:

Clínica Brasília de Psicologia    ou    Canal Gilberto Godoy no Youtube 

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •    A distinção entre reforçadores naturais e arbitrários é problemática em Análise do Comportamento e não há conformidade nos uso desses conceitos dentre os analistas do comportamento. Goldiamond, Ferster, Kohlenberg, Tsai entre outros defendem o uso de reforçadores naturais em detrimento dos arbitrários no contexto aplicado pelos...   (continua)


  •    Terapia comportamental pode ajudar pessoas em momentos especiais em que estão sentindo necessidade de solucionar problemas ou questões pessoais, e tem a necessidade de ajuda profissional efetiva.  Geralmente procuram o profissional por meio de indicações de amigos, colegas ou parentes. A procura na internet hoje também é muito comum.   (continua)


  •      Terapia Comportamental: quando, como e para quê?
      A vida é udinâmica e exige de nós uma constante adaptação às circunstâncias por meio de nossos comportamentos. Dificuldades e problemas são parte do nosso cotidiano, em diversos níveis. Muitas vezes, damos conta de lidar com nossas questões sem ajuda profissional, porém, quando nos deparamos com uma condição na qual não temos as respostas...   (continua)


  •    Bons questionamentos de Seiiti Arata Jr.  Ele fundou a Arata Academy em 2007, prestando serviços de treinamento online para jovens empresários e profissionais que procuram alcançar resultados de excelência. Atualmente...   (continua)


  •   Depressão é a denominação atribuída a um transtorno de humor que se caracteriza por um conjunto de somatizações e alterações de comportamentos, sentimentos, percepção, emoções entre outros e que podem comprometer a adaptação da pessoa à vida pessoal e social. Pode comprometer além da saúde, trabalho, família, estudos e relacionamentos.  (continua)

    Assista o VÍDEO sobre DEPRESSÃO  AQUI.


  •    Que tipo de ciência é a análise do comportamento? Ora descrita como parte da biologia, ora como parte da psicologia, ainda hoje permanece controversa sua posição no cenário científico. B. F. Skinner, talvez o principal epígono (se não prógono) dessa ciência no século XX sustentou diferentes posições sobre...   (continua)


  •    Três artigos recentes na seção Tendências/Debates da Folha de São Paulo tratam de abordagens para o tratamento de crianças autistas. Nilde Franch escreveu “Autismo e Psicanálise”, Del Rey, Vilas Boas e Ilo escreveram “Análise do Comportamento e Autismo” e...   (continua)


  •    Para muitos gerentes, colaboradores altamente motivados fazem o que são pagos para fazer, apenas o que está escrito em sua descrição de trabalho. Mas para mim, colaboradores altamente motivados fazem mais do que eles são pagos para fazer – eles fazem o que precisa ser feito para...   (continua)


Copyright 2011-2020
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília