Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Mário Quintana pra começar o ano

Enviado por Gilberto Godoy
mario-quintana-pra-comecar-o-ano

O luar é a luz do sol que está sonhando.

O tempo não pára! A saudade é que faz as coisas pararem no tempo…

Os verdadeiros versos não são para embalar, mas para abalar…

A grande tristeza dos rios é não poderem levar a tua imagem.

A alma é essa coisa que nos pergunta se a alma existe.

Inscrição para um portão de cemitério: A morte não melhora ninguém.

Interesse é um ponto de exclamação ou de interrogação no final do sentimento.

Intuição é quando seu coração dá um pulinho no futuro e volta rápido.

Já trazes ao nascer a tua filosofia. As razões? Essas vêm posteriormente, Tal como escolhes, na chapelaria, A fôrma que mais te assente.

Lembrança é quando, mesmo sem autorização, seu pensamento reapresenta.

Livros não mudam o mundo, quem muda o mundo são as pessoas.

Lucidez é um acesso de loucura ao contrário.

Mas o que quer dizer este poema? – perguntou-me alarmada a boa senhora E o que quer dizer uma nuvem? – respondi triunfante. Uma nuvem – disse ela – umas vezes quer dizer chuva, outras vezes bom tempo.

Mas que haverá com a lua que sempre que a gente olha é com um novo espanto?

Mas que susto não irão levar essas velhas carolas se Deus existe mesmo.

Melancolia: Maneira romântica de ficar triste.

Minha vida é uma colcha de retalhos. Todos da mesma cor.

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  • “Quem bate à minha porta não me busca.
    Procura sempre aquele que não sou
    e, vulto imóvel atrás de qualquer muro,
    é meu sósia ou meu clone, em mim oculto...
    (continua)


  •      "A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
         Quando se vê, já são seis horas!
         Quando de vê, já é sexta-feira!
         Quando se vê, já é natal...
         Quando se vê, já terminou o ano...
             (continua)


  • O meu olhar é nítido como um girassol.
    Tenho o costume de andar pelas estradas
    Olhando para a direita e para a esquerda,
    E de vez em quando olhando para trás...

    (continua)


  • Senhor, fazei com que eu aceite
    minha pobreza tal como sempre foi.
    Que não sinta o que não tenho.
    Não lamente o que podia ter
    e se perdeu por caminhos errados
    e nunca mais voltou.
    (continua)


  • - O tempo é um ponto de vista dos relógios.
    - A modéstia é a vaidade escondida atrás da porta.
    - Se a casa é para morar, por que a porta da casa se chama porta da rua?
    - A esperança é um urubu pintado de verde. O vento assovia de frio.   (continua)


  • Aprende - lê nos olhos,
    lê nos olhos - aprende
    a ler jornais, aprende:
    a verdade pensa
    com tua cabeça.

    (continua)


  • "Amanhecemos com os olhos no amanhã
    E o dia é hoje ...
    Anoitecemos com os sonhos de ontem
    E a noite é hoje ...
    E de tanta falta de sintonia
    De tanta busca e farta agonia..."
    (continua)


  •      Uma homenagem a Marília Pêra, uma mulher que fez a diferença!

    "Que pode uma criatura senão,
    entre criaturas, amar?
    amar e esquecer, amar e malamar,
    amar, desamar, amar?
    (continua)


  • "De almas sinceras a união sincera
    Nada há que impeça: amor não é amor
    Se quando encontra obstáculos se altera,
    Ou se vacila ao mínimo temor.
    Amor é um marco eterno, dominante,
    ​(continua)


  •    Orfeu da Conceição - Peça teatral escrita por Vinicius de Moraes em 1954, baseada no drama da mitologia grega de Orfeu e Eurídice. A trilha sonora da peça foi lançada em vinil no ano de 1956, pela Odeon, com música escrita por Antônio Carlos Jobim e letra de Vinicius. Voz de Maria Bethânia.


  •    Publicamos ontem os 20 melhores poemas do século XX de acordo com este blog. Neste post os 80 poemas restantes para a lista dos 100 melhores do século XX.
      21º Jubileu, de Vladímir Maiakóvski (1893-1930) – Nascido na Geórgia, Maiakóvski foi um entusiasta da Revolução Russa, enfrentando o desafio de...  (contnua)


  •    São muitas as listas e a controvérsia é grande quanto aos melhores poemas do século XX. Este blog fica com a listagem a seguir:
      1º Tabacaria, de Fernando Pessoa (1888-1935), sob o heterônimo de Álvaro de Campos – O poeta português é autor da mais original criação poética deste século...  (continua)


Copyright 2011-2020
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília