Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Pintura: A Casa do Enforcado - Paul Cézanne

Enviado por Gilberto Godoy
pintura--a-casa-do-enforcado---paul-cezanne

     Paul Cézanne nasceu em 19 de janeiro de 1839, no sul da França, na Provença, região procurada por muitos pintores e artistas pela luminosidade esplêndida e suave que fez e faz a delícia de quem por lá anda.

     Sua cidade natal é a bela Aix-en-Provence, cuja natureza certamente influenciou seu bom gosto. Como uma das maiores figuras dos movimentos Impressionista e Pós-impressionista, Cézanne exerceu enorme influência na Arte Moderna.

    No caso de Cézanne, fica tudo mais melancólico, já que a França, vejam bem, a tão decantada Douce France, ainda não ergueu um Museu Paul Cézanne.

     Existe um Atelier Cézanne na casa onde ele viveu, em Aix. Os que amam o pintor sabem que ali ele criou muitas de suas mais belas telas: as naturezas-mortas que pintava sem cansar de estudar as cores e os efeitos da luz sobre os objetos; alguns dos magníficos retratos que fez; a emoção que lhe despertava a beleza da paisagem provençal.

     A Provença foi sempre sua inesgotável fonte de inspiração e de ânimo na luta para conseguir dominar a arte que queria exercer em toda sua plenitude. Outros artistas pintaram essa região, mas foi Cézanne quem a transformou num lugar essencialmente dele.

     O quadro que mostramos hoje é “A Casa do Enforcado” (La Maison du Pendu), de 1873. Tendo passado uma temporada em Paris, ele assimilara dos Impressionistas o uso da cor e da luz, mas suas pinceladas oblíquas e a espátula vigorosa já demonstram sua originalidade, assim como o modo de preencher a tela com volumes e planos que interagem, o que viria a ser uma característica de sua obra. Esse foi o primeiro quadro que Cézanne vendeu para um colecionador.

      Acervo Musée d’Orsay, Paris 
      Fonte: fabrice-midal.org

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •    O legado de Monet deixou-nos uma visão estética muito particular do mundo, do mundo como eles não só o viram, senão como quiseram ver. Uma imagem do mundo filtrada pela câmera do olho. Neste vídeo filmado em 1915 podemos ver como a câmera de vídeo...   (continua)


  •    Compreender a história da arte nunca foi fácil. Mas o 'redditor DontTacoBoutIt',  uma conta que já não existe mais, postou uma série de pinturas famosas e deu explicações curtas, mas divertidamente precisas sobre como reconhecer seus autores. Segundo ele, por exemplo, as obras de...   (continua)


  •    Oscar-Claude Monet (Paris, 14 de novembro de 1840 — Giverny, 5 de dezembro de 1926) foi um pintor francês e o mais célebre entre os pintores impressionistas. O termo impressionismo surgiu devido a um dos primeiros quadros de Monet, "Impressão, nascer do sol", quando...   (continua)


  •    Que me perdoem os críticos de arte, cinema, literatura... mas seu papel sempre me pareceu um pouco cruel, ajuízam e julgam o trabalho de outros podendo afundar na miséria. Entendidos que são, não é incomum que se equivoquem ao fazer alguma resenha crítica a respeito de...   (continua)


  •    O Gato de Botas, um dos mais interessantes dos Contos de Perrault, mereceu uma deliciosa gravura de Doré. A cara do gato conta logo quem é esse grande finório, cheio de truques, inventivo, e que muito ajuda seu amo, o filho do moleiro que graças ao...   (continua)


  •    Bobbie vive a vida ao máximo. Ela vê o positivo em cada situação e aprende com isso. A força interior, profundidade e inteligência de Bobbie se refletem em suas esculturas de bronze. Ela estudou em muitos dos notáveis ​​artistas de hoje e toma influência de Leonardo Bistolfi, Solon e ...   (continua)


  •      Edward Hopper, o mais conhecido pintor realista americano, disse uma vez: “O homem é sua obra. Do nada nunca sai coisa alguma”. Essas palavras dão uma pista sobre um artista que era não somente muito cioso de sua intimidade, mas que fez da solidão e da introspecção temas de seus quadros. (Abaixo, à esquerda, auto-retrato, óleo sobre tela, 1925/30).   (continua)


  •     O jornal mexicano “El Universal” listou as dez obras de arte que considera como “as mais polêmicas da história”. Como quaisquer listas, sempre restritivas, a do veículo da terra do poeta Octavio Paz é questionável, mas pelo menos alguns dos quadros são mesmo controvertidos, provocam polêmicas e geram dezenas de livros e documentários, como é o caso das pinturas do italiano Leonardo Da Vinci, talvez o maior gênio da história da arte. Ou seria Michelangelo?   (continua)


Copyright 2011-2021
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília