Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

A história da Veuve Clicquot

Enviado por Gilberto Godoy
a-historia-da-veuve-clicquot

     Veuve Clicquot Ponsardin é uma casa de champanhe de Reims, França, e uma marca de champanhe, facilmente reconhecida pelo distinto rótulo laranja em sua garrafa. Fundada em 1772 por Philippe Clicquot-Muiron, Veuve Clicquot (pronunciado grosso modo vuuv clicô [ponsardan] desempenhou um importante papel no estabelecimento da champanhe como bebida escolhida pela nobreza e pela rica burguesia europeia. Situada em Reims, Veuve Clicquot faz parte do grupo Louis Vuitton Moët Hennessy de artigos de luxo desde 1987.

      História
 
     Nicole-Barbe Ponsardin, nascida em 16 de dezembro de 1777, casou-se com François Clicquot, filho de Philippe Clicquot-Muiron, em 10 de junho de 1798. Mas seu marido morreu em 23 de outubro de 1805, deixando-a viúva (veuve em francês) e no controle da companhia. Até aquele momento, a companhia dividia suas atividades entre a produção de champanhe, serviços bancários e comercialização de lã. Sob comando de Madame Clicquot, a companhia concentrou seu foco inteiramente na produção de champanhe.
 
     Durante as Guerras Napoleônicas, foi bem sucedida exportando sua champanhe (ao Império Russo em 1814, entre outros) e estabelecendo-a nas cortes reais. Na corte brasileira, remessas desta champanhe foram enviadas por encomenda ao imperador Pedro II.
 
     O processo de industrialização da produção de champanhe é creditado a Madame Clicquot no início do século XIX. Com a ajuda de seu mestre de adega, Antoine de Müller, Clicquot inventou o riddling rack (inclinação gradual das garrafas até a vertical), que permitia o dégorgement (degolação, eliminação) de restos de levedura e sedimentos do vinho num processo de purificação da bebida.

     A invenção de Clicquot compunha-se de uma mesa de madeira com buracos circulares perfurados nela, que permitia à garrafa de vinho ser presa sur point (de ponta a cabeça após centrifugação manual). Todo dia, um ajudante de mestre de adega cuidadosamente sacudia e girava (remuage) a garrafa para conduzir os restos de levedura e sedimentos acumularem-se no gargalo. Uma vez acumulados, a tampa era congelada. Após a retirada da rolha, os sedimentos eram expulsos naturalmente pela expansão dos gases. O vinho, purificado, era novamente lacrado com rolha. A champanhe Veuve Clicquot tem o selo de autorização real, dada por Elizabeth II para comercialização na Grã-Bretanha.
 

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •    A rabanada é uma fatia de pão de trigo (pão-de-forma ou baguete) que, depois de molhada em leite, vinho ou calda de açúcar, é passada por ovos e frita. As rabanadas fazem parte de muitas mesas em Portugal, e em várias ceias do Brasil também. Servem-se polvilhadas com açúcar e canela ou regadas com calda de açúcar, xarope de bordo ou mel. Que coisa boa é comer uma rabanada! 


  •    Eliane Contreras, editora de nutrição de Boa Forma, ensina receitas rápidas de overnight oats, uma alternativa leve e saudável para o café da manhã ou lanche.


  •      Toda compra exige uma certa cautela. Se você vai comprar um carro, você conversa antes com alguém que tenha o modelo que você tem interesse; se for usado, você conversa antes com o seu mecânico de confiança. Com o vinho não poderia ser diferente. Na hora de comprar você conversa com um amigo ou vai em uma casa especializada no ramo e conversa com o atendente.   (continua)


  •    Ainda que a maioria dos brasileiros tenham como desjejum apenas uma xícara de café preto e um pão com manteiga, seguem dizendo que o pequeno-almoço ou café-da-manhã é (ou deveria ser, no nosso caso) a principal refeição do dia, para proporcionar energia depois das...   (continua)
     


  •    Quem já ficou no açougue encarando uma lista de cortes, preços e pedaços de carne, expostos ou embalados na gôndola, sem ter a menor ideia de como juntar a intenção ("picadinho" ou "bife", por exemplo) com a oferta (alcatra, coxão mole, patinho etc) sabe a falta que faz conhecer um pouco sobre carnes.   (continua)


  •    Blog do Wessel
    ​  Kebab de cordeiro com pesto de hortelã  -  Um dos mais tradicionais pratos do Oriente Médio é o Kebab, Shish Kebab ou simplesmente espetinho. Kebab em persa significa frito e shish em turco é espetinho. Por isso o verdadeiro nome deste prato é Shish Kebab, que...   (continua)


  •    Um bom vinho fica ainda melhor com uma boa leitura. Para quem gosta de vinho e história, a dica de hoje é o livro "Vinho & Guerra", que narra as aventuras de famílias das regiões vinícolas francesas, durante a II Guerra Mundial, que arriscaram suas próprias vidas para...   (continua)


  •    O verdadeiro amante da bebida faz questão de se aprofundar nas curiosidades e conhecimentos em torno do vinho. Se você se encaixa nesse perfil, vale a pena conferir algumas questões que caracterizam o Velho e o Novo Mundo, sob a visão de um dos profissionais que...   (continua)


Copyright 2011-2018
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília