Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Cartas de NY - Eu vi em um filme por Luisa Leme

Enviado por Gilberto Godoy
cartas-de-ny---eu-vi-em-um-filme-por-luisa-leme

    Se você gosta de cinema como eu, essa carta é para você.

   Nova Iorque é aquela cidade que mesmo sem conhecer, a gente já viu. Quem assiste televisão e vai ao cinema tem o lugar formado na cabeça. E quando se anda por tantos lugares aqui, as cenas pulam das ruas e encontram a história e os personagens na nossa memória. Situações específicas, ao ponto da gente procurar os atores ou mesmo parar para pensar que cinema e realidade se misturam a toda hora. Esse lugar é assim mesmo ou eu acho que é assim porque eu vi no filme? O restaurante ficou famoso por causa do filme ou porque é bom?

   A reação é sempre drástica. Ou se vê tudo como na tela grande, ou a cidade já mudou, criando uma atmosfera totalmente diferente. Aqui vão alguns exemplos.

   Para os românticos: o filme “Mensagem Para Você” é uma declaração de amor a Nova Iorque. As rosas do encontro entre Meg Ryan e Tom Hanks moram no Riverside Park, no norte de Manhattan, e são tão lindas que inspiram beijos mesmo. Por outro lado, o café onde eles se desencontram, depois da personagem de Ryan ficar esperando por horas sem saber que Hanks era quem ela esperava chama-se Café Lalo, e fica na rua 83 no Upper West Side. As sobremesas são lindas, mas o gosto decepciona mais do que o desencontro amoroso do filme. No meio da sobremesa, um ônibus turístico pode parar na frente, com um grupo enorme de pessoas tirando foto da sua cara de culpada depois da torta de chocolate.

   Filmes nova-iorquinos mais clássicos como “Taxi Driver” ainda são lembrados (já que os motoristas continuam sendo tipos estranhos na maioria das vezes) mas não pode ser mais encontrado. A Times Square naquela época era um lugar perigoso, onde ninguém queria andar de madrugada, e não a Disney para adultos de hoje.

   Alphabet City, o bairro que fica no sudeste de Manhattan, onde as vias ganharam letras em vez de números negativos (depois da 1ª avenida, elas se tornam A, B e C) também costumava ser um lugar super perigoso, propício para Travis Bickle (Robert De Niro). Mas hoje, sem heroína ou prostituição nas ruas, o lugar oferece apartamentos a três mil dólares por mês.

   Outro cenário com uma história violenta na tela grande: Five Points (ou Cinco Pontos). O lugar onde nem Daniel Day-Lewis, o açougueiro mais assustador de “Gangues de Nova York”, sobreviveu, hoje é Chinatown. O bairro chinês praticamente “fagocitou” a área há muito tempo e quem passa por lá pode curtir dumplings, pato cozido, e todo tipo de comida chinesa, menos uma briga.

   A gentrificação e a corrida imobiliária são rápidas demais em Nova Iorque, até para Hollywood acompanhar. Mas as ruas, as pontes, os cafés e alguns cenários que viraram pontos turísticos ajudam a gente a lembrar. E sonhar com os filmes que tanto fazem as pessoas que nunca viajaram passarem por aqui. Nesse ponto, a cidade não decepciona nenhum sonhador.


     Fonte: blog do Noblat

   Luisa Leme é jornalista e produtora de documentários. Passou pela TV Cultura e TV Globo em São Paulo, e pelas Nações Unidas em Nova York. Mora nos Estados Unidos há sete anos e fez mestrado em relações internacionais na Washington University in St. Louis. Escreve no blog do Nolbat. Mantém o blog DoubleLNYC com imagens e impressões sobre Nova York. Twitter: @luisaleme

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •    Chama-se gentrificação (um neologismo que ainda não consta nos dicionários de português) ou enobrecimento urbano, de acordo com algumas traduções, a um conjunto de processos de transformação do espaço urbano que ocorre...   (continua)


  •      Armação dos Búzios ou apenas Búzios, como é globalmente conhecido, é um município do estado do Rio de Janeiro localizado na Região dos Lagos. Faz divisa a oeste com Cabo Frio, município do qual tornou-se autônomo em 1995. Localiza-se a cerca de 165 quilômetros da capital do estado.   (continua)



  •       New York City Timelapse - The Manhattan Project HD1080P Time-lapse


  •       Conhecer o Rio de Janeiro de bicicleta, pelas ciclovias do Leblon, Lagoa Rodrigo de Freitas, Ipanema, Copacabana, Leme, Botafogo, Flamengo, Centro... é muito bom! Fazer isto aproveitando pra tirar belas fotografias, melhor ainda. Se for leve e faceiro, ouvindo Tom Jobim e Chico Buarque (como neste vídeo) então, aí não tem preço, nada paga. Quem fizer não vai se arrepender, garanto!


  •      Me perguntaram quem é o mais nova-iorquino dos nova-iorquinos e o primeiro nome que pintou foi Woody Allen. Bobagem minha. Ele e as situações e os personagens dos seus filmes são nova-iorquinos, mas o nova-iorquino típico não é um cineasta neurótico genial. Todos temos neuras. Quais tipificam Nova York?   (continua)


  •    Se Nova York é a cidade que nunca dorme eu não sei. O que sei é que muita gente, de fato, não dorme. E não é por falta de vontade. O barulho é de longe a maior reclamação no serviço 311, uma linha telefônica de comunicação entre os moradores e as prefeitura da cidade. Lançado em 2003, o número recebe uma média de 50 mil ligações por dia.   (continua)



  •      Um belo vídeo, com o hino da cidade natal da minha saudosa e amada mãe!
     


  •    Segundo dados da UN Population Division, 72% da população do continente europeu mora nos centros urbanos. No entanto, suas cidades consomem um percentual menor do que este, apenas 69% do total de energia. O número é abaixo do que se poderia imaginar e a razão parece estar ligada a...   (continua)


Copyright 2011-2020
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília