Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Pina Bausch: "dance ou estaremos pedidos"

Enviado por Gilberto Godoy

     "Pina", documentário de Wim Wenders sobre a dançarina e coreógrafa alemã Pina Bausch (1940-2009), causou comoção quando foi apresentado no festival de dança de Berlim. Foi considerado por muitos jornalistas e críticos uma experiência emocionante e profunda. Exibido na seleção oficial sem concorrer ao Urso de Ouro, é um tributo à principal cabeça criativa do Tanztheater Wuppertal, companhia que passou a dirigir no início dos anos 1970 e hoje leva o seu nome.

      Wenders conta que o filme havia sido planejado em conjunto com Bausch. Eles iniciaram a produção no começo de 2009 e chegaram a gravar quatro peças: "Le Sacre du Printemps" (1975), "Kontakthof"(1978); "Café Muller" (1978) e "Vollmond"(2006). "Mas ela morreu [em julho de 2009] subitamente", disse ele, na entrevista coletiva. "Tínhamos um conceito que de uma hora para outra não pode ser mais desenvolvido. Não sabíamos o que fazer para preencher esse enorme vácuo que ela deixou. Havíamos filmado apenas quatro peças. E achei que a melhor maneira de completar o trabalho era adotar o método da própria Pina, que era questionar constantemente seus dançarinos."

      O cineasta disse que a primeira coisa que chamou sua atenção em Pina Bausch foi o modo como ela olhava para as coisas. "Para ela, era importante a forma como as pessoas se expressam pela dança", disse ele. "Ela realmente olhava através das pessoas. É sobre isso que fala o filme, na verdade: sobre esse olhar."

     Acho o modo como as pessoas olham para as coisas é o termômetro da vida! Altera fantasias, cria encantamentos, destrói relações, sensibiliza perspectivas de outras relações, potencializa mudanças... é tudo!

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •    Moscow City Symphony "Russian Philharmonic", Phonograph Jazz Band. Conductor: Honoured Artist of Russia Sergey Zhilin, Soloists: Yuri Medyanik (bandoneon), Rodion Petrov (violin), Pair of dancers: Inna Svechnikova, Dmitry Chernysh.


  •    Ao longo de toda a existência, o homem sempre buscou formas de perpetuar o seu conhecimento e transmiti-lo a gerações futuras. O que seria da história ou do conhecimento se os episódios e vicissitudes da humanidade não estivessem escritos e armazenados em algum lugar? Simplesmente seriam fatos que...   (continua)


  •    Eu sou uma contadora de histórias e gostaria de contar a vocês algumas histórias pessoais sobre o que eu gosto de chamar "o perigo de uma história única". Eu cresci num campus universitário no leste da Nigéria. Minha mãe diz que eu comecei a ler com dois anos, mas eu acho que quatro é provavelmente mais próximo da verdade. Então...   (continua)


  •    O crash da bolsa em 1929, que resultou na Grande Depressão, tornou-se o maior desastre econômico no mundo industrial. Em 1931, as ações valiam apenas 20% do valor nominal de 1929, a produção industrial caiu pela metade, um em cada quatro estava desempregado. Em 1935, metade dos bancos...   (continua)


  •    Ex libris é uma expressão latina que significa literalmente "dos livros", empregada para determinar a propriedade de um livro. Portanto, ex libris é um complemento circunstancial de origem (ex + caso ablativo) que indica que tal livro é "propriedade de" ou "da biblioteca de". A inscrição pode estar...   (continua)


  •    A paixão dos portenhos pela leitura é grande e Jorge Luis Borges, teve um papel mais que especial nesse hábito tão saudável e até um pouco "invejado" por outros países. Segundo dados da Secretaria de Comunicação da Presidência da República, são mais de 3200 livrarias.    (continua)


  •    Arch West, criador do famoso Doritos, faleceu aos 97 anos no final do mês de setembro passado e durante seu enterro, seus entes queridos fizeram um estranho ritual espalhando o conhecido salgadinho, que o tornou famoso e milionário, sobre seu caixão. Mas este não é o único caso curioso em que...   (continua)


  •    Da Agência USP de Notícias
      As manifestações sutis de discriminação racial estão cada vez mais presentes no dia-a-dia da sociedade brasileira. Segundo a psicóloga Sylvia Nunes, que pesquisou sobre o preconceito sutil no Instituto de Psicologia da USP, as pessoas ainda...   (continua)


Copyright 2011-2019
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília