Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Pintura: Mona Lisa (1503/06)

Enviado por Gilberto Godoy
pintura--mona-lisa--1503-06-

     O pintor: Leonardo da Vinci nasceu em Vinci, na Toscana, em 15 de abril de 1452 e morreu em Cloux, na França, em 2 de maio de 1519. Amava esse quadro e nunca dele se desfez, andava com ele para onde quer que fosse. Está na França por isso, foi com ele para Amboise e segundo Giorgio Vasari, o grande autor de "Vidas" (1550), ele o vendeu ao rei Francisco I de França, em 1518. É audacioso contestar Vasari, evidentemente, e eu não tive a honra de conhecer Leonardo, mas algo me diz que ele deu o retrato da Mona Lisa a Francisco I que o acolheu como a um pai. Leonardo, idoso e doente, morreu nos braços do rei.

     O retrato: esse é, sem dúvida, o retrato mais famoso em todo o mundo. A pessoa pode até não saber quem é a retratada, mas é difícil encontrar quem nunca a tenha visto em jornal, revista, anúncio, TV ou cinema. Muito já se escreveu sobre ela: são inúmeras as teorias. A fonte mais fidedigna é Vasari que no já citado “Vidas” descreve a vida e a obra dos grandes artistas de seu tempo.

     Segundo Vasari, Mona Lisa nasceu em 1479 e faleceu em 1528. Mona correspondia ao nosso “Dona”. Lisa é seu nome de batismo, Lisa Gherardini, que depois do casamento, em 1495, com Francesco del Giocondo, passou a ser Lisa Gherardini del Giocondo, ou La Gioconda.

     A figura dessa mulher vestida como todas as senhoras florentinas de seu tempo, sentada diante de uma paisagem fantástica, com os braços cruzados em pose muito calma, com sorriso e olhar misteriosos, encanta e intriga desde que foi exposta à visitação pública.

     Leonardo usou nesse retrato a técnica do “sfumato”, brincando com a luz e a sombra e fazendo os contornos pouco nítidos, o que dá ao quadro uma aparência de sonho; a paisagem de água, rochas e vegetação em tons de azul e marrom enfatiza a atmosfera abstrata.

     Como já mencionei, é obra estudada à exaustão e, entre outras coisas, há conclusões como essas que cito a seguir: o sorriso só nos cantos dos lábios era considerado sinal de elegância, mas pode também estar ligado ao nome Gioconda, que quer dizer contente, de bem com a vida; a ausência de pestanas e de sobrancelhas era outro padrão de beleza para as senhoras das classes abastadas; La Gioconda não está retratada, como as emergentes de seu tempo, em ambiente luxuoso, vestida com pompa. Ao contrário, a simplicidade de suas roupas se une à simplicidade de seu sorriso doce e transmite o interesse dos renascentistas pela teoria de Platão: a beleza da alma transparece...

     Óleo sobre prancha de madeira com 12 mm de espessura, mede 77 x 53 cm.

     Acervo Museu do Louvre Paris.

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •    O Gato de Botas, um dos mais interessantes dos Contos de Perrault, mereceu uma deliciosa gravura de Doré. A cara do gato conta logo quem é esse grande finório, cheio de truques, inventivo, e que muito ajuda seu amo, o filho do moleiro que graças ao...   (continua)


  •    Paul Cézanne nasceu em 19 de janeiro de 1839, no sul da França, na Provença, região procurada por muitos pintores e artistas pela luminosidade esplêndida e suave que fez e faz a delícia de quem por lá anda. Sua cidade natal é a bela Aix-en-Provence...   (continua)


  •    Bobbie vive a vida ao máximo. Ela vê o positivo em cada situação e aprende com isso. A força interior, profundidade e inteligência de Bobbie se refletem em suas esculturas de bronze. Ela estudou em muitos dos notáveis ​​artistas de hoje e toma influência de Leonardo Bistolfi, Solon e ...   (continua)


  •      Edward Hopper, o mais conhecido pintor realista americano, disse uma vez: “O homem é sua obra. Do nada nunca sai coisa alguma”. Essas palavras dão uma pista sobre um artista que era não somente muito cioso de sua intimidade, mas que fez da solidão e da introspecção temas de seus quadros. (Abaixo, à esquerda, auto-retrato, óleo sobre tela, 1925/30).   (continua)


  •     O jornal mexicano “El Universal” listou as dez obras de arte que considera como “as mais polêmicas da história”. Como quaisquer listas, sempre restritivas, a do veículo da terra do poeta Octavio Paz é questionável, mas pelo menos alguns dos quadros são mesmo controvertidos, provocam polêmicas e geram dezenas de livros e documentários, como é o caso das pinturas do italiano Leonardo Da Vinci, talvez o maior gênio da história da arte. Ou seria Michelangelo?   (continua)


  •    O Homem Vitruviano de Leonardo da Vinci é um desenho famoso que acompanhava as notas feitas pelo artista por volta do ano 1490 num dos seus diários. Descreve uma figura masculina nua separada e simultaneamente em duas posições sobrepostas...   (continua)


  •    O Cirque du Soleil ("Circo do Sol", em francês), companhia circense com base em Montreal, Quebec, Canadá, foi criada pela entusiasta das artes circenses, Madame Alice Canton. Foi fundado em Quebec em 1984 por dois ex-artistas de rua, Guy Laliberté e Daniel Gauthier, em resposta a um apelo feito pelo...   (continua)


  •    Uma das primeiras regras de museus, que abrigam grandes obras de arte é 'Você pode olhar, mas você não pode tocar". Mas e a comunidade de cegos e deficientes visuais que usam seu sentido do tato para experimentar o mundo? O projeto "Unseen Art" ("Arte Invisível"), uma iniciativa, criada pelo...   (continua)


Copyright 2011-2020
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília