Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

'Tarja branca' e a necessidade de brincar para existir

Enviado por Gilberto Godoy
-tarja-branca--e-a-necessidade-de-brincar-para-existir

     Uma das músicas mais conhecidas do grupo Palavra Cantada, entoa que “Criança não trabalha, criança dá trabalho”. Diversos estudos (e a mais importante de todas, a observação do comportamento dos pequenos) comprovam a importância das brincadeiras para o desenvolvimento infantil, tanto intelectual quanto interpessoal. E na corda bamba que é essa transição entre a infância e a vida adulta e sua corrida por sucesso na carreira e vida pessoal, vamos nos embrutecendo e acinzentando com as durezas do cotidiano.

   A tecnologia nos consome e distancia de nossa natureza que exige o contato humano, natural e necessário, como explana uma das pesquisadoras entrevistadas para compor o documentário “Tarja Branca”, “a gente nasceu pra ser gente”. Isso mesmo. Porque brincar é existir. É sentir-se vivo. Lançado em junho de 2014 nos cinemas e com a mesma equipe que produziu o pontual “Muito Além do Peso”, o documentário investiga e instiga a importância da brincadeira, tanto para o uso lúdico na vida, quanto no âmbito social e de enfrentamento de crises e questionamentos humanos, todos esses processos que nos fazem crescer.

   A fala de profissionais especializados na infância é costurada com as memórias e experiências de pessoas como Marcelino Freire, escritor pernambucano, que para escrever, também precisa manter acesa a liberdade de imaginar, descontruir e inventar histórias e personagens.

   Para a coreógrafa Andrea Jabor, “brincar é urgente”, e cada vez mais necessário numa sociedade rodeada por tecnologia e certa deficiência imaginativa, onde as brincadeiras não precisam ser inventadas, pois já estão disponíveis em lojas. Como resultado das convenções sociais, certamente a maioria de nós escolheu não dar trabalho. E seguimos um monótono processo onde o tempo encurtou e as exigências da máquina do trabalho aumentaram, diminuindo nosso espaço e pensar lúdico. Perdemos nossos trava-línguas, ganhamos o receio de pintar objetos com cores diferentes das conhecidas e, principalmente, deixamos para trás nossa liberdade de existir dentro da nossa imaginação.

   Afinal, a brincadeira não precisa estar ligada ao ambiente infantil, mas pode compartilhar de suas vivências, aprendizados e desprendimentos. O quanto se aprende levando a vida de uma maneira um pouco menos ansiosa ou com pequenos exercícios para não levar tudo tão a sério? Brincar é o remédio que falta para que nossas gavetas e caixas de primeiros socorros permaneçam quietas.

   O filme está disponível no youtube, através do canal da produtora Maria Farinha Filmes.

     Fonte: Obvius

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •      "Tears of Steel" é um curta metragem de ficção ambientado em uma Amsterdã futurista, que foi dirigido e escrito por Ian Hubert. O filme foi realizado através de financiamento crowd-funding por usuários da ótima ferramenta Open Source de criação 3D Blender. Impressionante!


  •    O Tempero da Vida conta a história de um menino que cresceu em Istambul, cujo avô, um filósofo culinário e mentor, o ensina que tanto a comida quanto a vida, requerem temperos para adicionar-lhe sabor e especialidade. Por causa da guerra, sua família se muda para a Grécia. Fanis cresce e se torna um grande...   (continua)


  •    O ser humano tem um recurso admirável em sua natureza psíquica – a capacidade de brincar, a função lúdica do ‘Eu’. Esse recurso existe nas brincadeiras das crianças, e prossegue na possibilidade do adulto usar o brincar para obtenção do prazer, e para “tolerar experiências dolorosas”. É comum usar o...   (continua)


  •    Baseado no livro O Ponto de Mutação, do físico austríaco Fritjof Capra, o filme deixa tantos caminhos para discussão, ao seu término, que escolher sobre que aspecto tratar acaba se tornando uma tarefa difícil. Porém, o lado científico de Ponto de Mutação é uma das coisas mais belas já...   (continua)



  •      Yann Tiersen é especialmente habilidoso em suas criações. Vale ver o excelente vídeo!


  •    O documentário "A Morte Inventada" tem como objetivo estimular a discussão sobre a Alienação Parental, noemenclatura pouco conhecida entre nós, mas que se refere a um comportamento bastante comum. A Alienação Parental, descrita em meados da década de 80 pelo...   (continua - veja o trailler)



  •         "Tornem suas vidas extraordinárias..."


  •    Duas grandes paixões: cinema e vinhos! Elas inspiraram esta lista com alguns longa-metragens que tem o vinho e as vinícolas como pano de fundo para contar as histórias. Estas obras mostram que ficção e realidade podem casar tão bem quanto...   (continua)


Copyright 2011-2020
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília