Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns minutos...

 

Sobre homens e livros - Habbas Gazan

Enviado por Gilberto Godoy
sobre-homens-e-livros---habbas-gazan

     Comemora-se hoje o Dia do Livro.   
   Não há poder sem conhecimento. A famosa frase de Francis Bacon,  "Conhecimento é poder" nunca foi tão atual. Seja o poder pessoal de viver, modificar e dar qualidade às nossas vidas, seja o poder político, do qual todos dependemos. Ter acesso a informações de qualidade é fundamental para que possamos ter o direito de dirigir adequadamente nossas ações, comandando segundo nossos propósitos, de decidir e de mandar nas questões que afetam nossas vidas.

   As formas como acessamos as informações mudaram significativamente nos últimos anos. Se, por um lado, a quantidade e qualidade das informações melhoraram, a forma de acessá-las, nem tanto. Há um grande perigo hoje na formação da personalidade. Sem referências sólidas e éticas da escola e da família, algumas crianças e adolescentes, diante de qualquer dúvida ou necessidade de estudo, pesquisam sobre diversos temas na internet, navegando, sem recorrer aos livros, o que pode significar a formação de valores distorcidos.

   A tecnologia google veio pra ficar. É irreversível, útil e pode nos ajudar a construir um mundo melhor, mais rápido e eficiente, sem dúvida. O grande questionamento é acerca da multiplicidade de alternativas disponíveis e a falta de critérios de direcionamento no acesso aos dados. A formação das novas gerações vai depender da qualidade de conhecimento que adquirir. Percebemos parte dos nossos jovens crescendo à luz dos enlatados, descartáveis, com excesso de recursos da tecnologia e facilidades, sem a sedimentação de questionamentos pela leitura de livros de boa qualidade.

   Faz falta o incentivo ao acesso a uma literatura que solidifique nos jovens uma boa bagagem conceitual, que favoreça o espírito crítico e livre. Faz falta o mundo infantil de autores como Érico Veríssimo, Júlio Cortázar, Manoel de Barros, Adélia Prado, Clarice Lispector ou mesmo Monteiro Lobato, que apesar da polêmica de racismo dos últimos tempos, chama atenção para o papel político dos livros e para quem os espíritos livres são frutos de boas leituras. Aliás, sua genialidade pode ser vista, tanto em seus livros, quanto em suas ações. Lobato se envolveu em muitos assuntos de interesse nacional, desde campanhas sanitárias e educacionais até o questionamento da exploração de nossas riquezas naturais, como o petróleo, tão atual com a descoberta do pré-sal. É dele a frase "um país de faz com homens e livros", que reproduz, com pertinência, a ideia segundo a qual os países mais desenvolvidos do mundo são aqueles que investem em educação e cultura. A quantidade de livros que escandinavos, canadenses, americanos, australianos, ingleses e franceses lêem por ano superam, em muito, à nossa. Sem contar o número de bibliotecas, teatros, cinemas e centros culturais.

   É preciso que nossas políticas sociais priorizem, na formação de jovens, o acesso aos livros e à cultura. Bibliotecas públicas, sempre abertas, com programas de incentivo à leitura, gincanas e atividades lúdicas relacionadas à educação integral serão fundamentais. Estamos num momento histórico e econômico propício a este desenvolvimento e precisamos resgatar práticas de boa qualidade, direcionadas à formação de uma sociedade mais participativa, consciente, que oriente as novas gerações de forma ética, o que só se fará por meio de "homens e livros".

Comentários

Comente aqui este post!
Clique aqui!

 

Também recomendo

  •    Pela oportunidade de ter tido sonhos, saúde, trabalho, amigos, de andar, de respirar, de fazer acontecer... Pela oportunidade dos enganos que aprimoraram escolhas, pela fé e pela certeza da força dos comportamentos, agradeço a este ano que finda. Que o próximo ano traga novos desafios e realizações para todos nós. Feliz Ano Novo.


  •    O último dia do ano não é o último dia do tempo. Outros dias virão e novas coxas e ventres te comunicarão o calor da vida. Beijarás bocas, rasgarás papéis, farás viagens e tantas celebrações de aniversário, formatura, promoção, glória, doce morte com sinfonia e coral, que o tempo ficará repleto e não ouvirás o clamor, os irreparáveis uivos do lobo, na solidão. O último dia do tempo não é o último dia de tudo.   (continua)


  •    Meu amigo, não te esqueças. Pelo Natal do Senhor, abre as portas da bondade, ao chamamento do amor. Reparte os bens que puderes às luzes da devoção. Veste os nus. Consola os tristes, na festa do coração. Mas, não te esqueças de ti no banquete de Jesus: segue-lhe o exemplo divino de paz, de verdade e luz. Toma um novo compromisso...   (continua)


  •    Esta data foi estabelecida pelo projeto lei número 10.639, no dia 9 de janeiro de 2003. Foi escolhida a data de 20 de novembro, pois foi neste dia, no ano de 1695, que morreu Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares.   (continua)


  •    Se a história do Dia das Bruxas tem o sentido de espantar os 'demônios', nada melhor do que esta cena da 'Família Adms' ao som de Ramones para faze-lo. A história desta data comemorativa tem mais de 2500 anos. Surgiu entre o povo celta, que acreditava que...   (continua)


  •      "Para ensinarmos um aluno a inventar precisamos mostrar-lhe que ele já possui a capacidade de descobrir" Gaston Bachelard.

         O professor, como os artistas, provoca o amor pelo conhecimento, um amor que já existia em nós, mas estava adormecido. O professor, como os profetas, desencadeia um processo de descoberta pessoal que, por sua vez, ativa nosso poder criador.   (continua)


  •    No especial “Do que a gente vai brincar hoje?”, a Revista Crescer mostra brincadeiras para você se divertir ao lado de crianças de 0 a 8 anos, dentro ou fora de casa. Escolha a brincadeira ideal para fazer com seu filho, afilhado, sobrinho... indicada conforme a idade e também o objetivo. Confira em 'ver mais'



  •    O dia que mudou o rumo da história. Vale a pena ver o vídeo.
     


Copyright 2011-2021
Todos os direitos reservados

Até o momento,  1 visitas.
Desenvolvimento: Criação de Sites em Brasília